Busca avançada
Ano de início
Entree

Organização de banco de dados de vazão e precipitação para bacias do estado de São Paulo

Processo: 17/08199-1
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de maio de 2017
Vigência (Término): 30 de abril de 2018
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Agrometeorologia
Pesquisador responsável:Silvio Frosini de Barros Ferraz
Beneficiário:Shaxahmary de Mori Crepaldi dos Santos
Instituição Sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:16/02877-5 - Impacto das mudanças climáticas no regime hídrico de riachos do Sudeste do Brasil, AP.PFPMCG.R
Assunto(s):Hidrologia   Hidrologia de floresta   Ecohidrologia   Vazão de água   Mudança climática   Impactos ambientais   Banco de dados   Bacia hidrográfica   São Paulo
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Banco de dados | Fisiologia Florestal | Hidrologia florestal | Hidrologia Florestal

Resumo

A proposta deste estudo é utilizar o modelo hidrológico de Fu (1981) baseado na hipótese de Budyko (Budyko, 1948, 1974) para relacionar as mudanças climáticas e o impacto na vazão de riachos de diversos locais do Sudeste do Brasil. Esse modelo utiliza predominantemente processos físicos para realizar as simulações de escoamento hídrico. No entanto, sua aplicabilidade é limitada para cenários de longa escala de tempo (> 1 ano) e grandes áreas de bacias (>10.000 km2). No caso de simulações que envolvem cenários de curtas escalas de tempo e pequenas microbacias, alguns estudos têm demonstrado a necessidade de se incluir variáveis que representem a dinâmica da vegetação para aprimorar o modelo e torná-lo mais sensível. Dessa forma, para que o modelo hidrológico possa fazer predições mais fidedignas frente ao cenário de mudanças climáticas, é preciso dimensionar o real impacto da alteração do uso do solo na disponibilidade de água na escala da microbacia. A inclusão da dinâmica de vegetação no modelo é corroborada pela Teoria do Modelo Ecohidrológico que pressupõe que, em ambientes com limitação hídrica, a vegetação é a resposta integrada de todos os fatores que afetam a disponibilidade hídrico. A proposta deste estudo é utilizar o modelo de Fu para prever o impacto das mudanças climáticas no escoamento hídrico de bacias hidrográficas da região Sudeste, e utilizar variáveis biológicas para aprimorar simulações de curtas escalas de tempo, tornando-o mais abrangente para pequenas e médias microbacias. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)