Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito do tratamento com nanopartículas de ouro sobre a expressão proteica de marcadores oxidativos ou inflamatórios em cérebro ou células sanguíneas de camundongos com encefalopatia séptica ou glioblastoma multiforme

Processo: 17/01762-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2017
Vigência (Término): 19 de agosto de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia
Pesquisador responsável:Stephen Fernandes de Paula Rodrigues
Beneficiário:Luis Guilherme Xavier Fernandes
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/05146-6 - Eficácia terapêutica de nanopartículas de ouro em glioblastoma multiforme ou encefalopatia séptica em camundongas, AP.JP
Assunto(s):Expressão de proteínas   Estresse oxidativo   Inflamação   Encefalopatias   Glioblastoma   Nanopartículas   Sepse   Modelos animais de doenças

Resumo

Dentre as doenças mais graves que afetam o SNC estão o glioblastoma multiforme e a encefalopatia séptica. Cerca de 4% dos cânceres no Brasil acomete o SNC, sendo o mais frequente e devastador o glioblastoma multiforme (OMURO & DEANGELIS, 2013). Frequente também é o número de indivíduos acometidos por encefalopatia séptica, alcançando 71% dos pacientes diagnosticados com choque séptico (PAPADOPOULOS et al., 2000). Como fatores importantes para o desenvolvimento dessas doenças estão inflamação e desequilíbrio oxidativo (BALKWILL & MANTOVANI, 2001; SIAMI et al., 2008). Nanopartículas de ouro (AuNPs) têm enorme potencial no combate a essas doenças, uma vez que possuem propriedades anti-inflamatória e antioxidante intrínsecas (UCHIYAMA et al., 2014). Dessa forma, propomos estudar o efeito do tratamento com AuNPs sobre a expressão de marcadores inflamatórios e oxidantes em animais com glioblastoma multiforme ou encefalopatia séptica. Para isso, sepse será induzida em camundongos utilizando o modelo de ligação e perfuração intestinal, enquanto glioblastoma multiforme será obtido por implante intracerebral da linhagem de células de glioblastoma murinho, GL261. Os animais serão tratados, intravenosamente (IV), com AuNPscit ou AuNPs-IgG (10 elevado a 12 partículas/mL), e como controle dos tratamentos com as AuNPs, solução contendo o anticorpo anti-H3.3, utilizada para preparar as AuNPs-IgG, ou solução de aurotiomalato de sódio (Sigma-Aldrich), em dose anti-inflamatória, 0,7 ¼g/g de massa corpórea, dissolvido em solução fisiológica, de acordo com o descrito por SIN & WONG (1992), ou solução fisiológica, em dose única, intravenosa, 2 ou 4 horas após indução da sepse, ou injetados em dias alternados durante 20 dias, iniciando 7 dias após indução do tumor. Após 6 horas da indução da sepse ou ao final de 20 dias de tratamento dos animais com tumor, os camundongos serão sacrificados e os seus cérebros coletados e congelados (-80oC) para posterior determinação das expressões proteicas de: iNOS e gp91phox, para cérebros sépticos, ou antígeno nuclear de proliferação celular (PCNA, "proliferating cell nuclear antigen") e fator de crescimento epidermal (EGF, "epidermal growth factor"), para cérebros com tumor, por Western blotting. Da mesma forma, o sangue desses animais será coletado para determinação da expressão proteica de L-selectina e CD18, em leucócitos; e P-selectina e alpha(IIb)beta(3) integrina, em plaquetas, por citometria de fluxo. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)