Busca avançada
Ano de início
Entree

Descrição morfológica da região aorta-gonadal-mesonéfrica de embriões bovinos com 24-40 dias de gestação e análise da proliferação celular e expressão de marcadores

Processo: 16/20560-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2017
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária
Pesquisador responsável:Celina Almeida Furlanetto Mançanares
Beneficiário:Ana Lídia Jacintho Delgado
Instituição-sede: Pró-Reitoria de Pesquisa e Extensão. Centro Universitário da Fundação de Ensino Octávio Bastos (UNIFEOB). Fundação de Ensino Octávio Bastos (FEOB). São João da Boa Vista , SP, Brasil
Assunto(s):Células-tronco hematopoéticas   Células-tronco   Hematopoese   Anatomia animal   Embrião de animal   Organogênese

Resumo

Durante muito tempo o saco vitelino foi caracterizado como principal fonte de células tronco hematopoiéticas (CTH), uma vez que foi o primeiro local a ser observado esse tipo de atividade. No entanto, mais recentemente evidências sugerem que o repovoamento das CTH é gerado autonomicamente em uma região dentro da mesoderme embrionária, conhecida como região aorta-gonadal-mesonéfrica (AGM). A região AGM se localiza próximo ao sistema urogenital em formação, gerando o desenvolvimento das gônadas, córtex da glândula supra-renal e metanefros. Essas informações reforçam a hipótese que o endotélio da região AGM atua no suporte de renovação e diferenciação das CTH. Considerando a ausência de dados sobre a formação e desenvolvimento da região AGM na espécie bovina, este projeto tem como objetivo caracterizar macro e microscopicamente esta região em embriões bovinos provenientes de monta natural com idades gestacionais de 24 a 40 dias (fase crítica para perdas gestacionais na espécie bovina). Além disso, verificar-se-á a expressão de marcadores envolvidos com proliferação e crescimento celular e pluripotência celular nas amostras de AGM nas diferentes idades analisadas. Dessa forma nossos resultados poderão contribuir significativamente para o entendimento da organogênese dessa importante espécie para a economia brasileira, assim como permitirá identificar nichos de células em proliferação e com características de pluripotência, as quais em um segundo momento poderão ser coletadas e cultivadas in vitro para obtenção de diferentes linhagens de células tronco. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)