Busca avançada
Ano de início
Entree

Potencial Evocado Auditivo de Tronco Encefálico com estímulo de fala e clique em crianças com Transtorno do Espectro do Autismo

Processo: 16/16331-4
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2016
Vigência (Término): 30 de setembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fonoaudiologia
Pesquisador responsável:Fernanda Cristina Leite Magliaro
Beneficiário:Rebeca Yuko Couto Kawai
Instituição Sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Audiologia   Transtorno autístico   Audição   Percepção da fala   Potenciais evocados auditivos do tronco encefálico   Transtornos do neurodesenvolvimento   Eletrofisiologia   Testes audiológicos
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:audição | Eletrofisiologia | potenciais evocados auditivos de tronco encefálico | Transtorno Autístico | Audiologia

Resumo

O autismo infantil concerne a um quadro de enorme complexidade que requer a efetuação de abordagens multidisciplinares. A sintomatologia é bastante variável em crianças com Transtorno do Espectro do Autismo e podem variar tanto em relação ao tipo quanto ao grau de acometimento, mas são agrupados por apresentarem em comum uma descontinuação precoce dos processos de sociabilização. Tal patologia é, por sua natureza, um transtorno do neurodesenvolvimento que atinge os mecanismos cerebrais de sociabilidade básicos e precoces. Embora o tema seja cercado de discussões e haja controvérsias conceituais e clínicas, é possível observar um consenso que independe da linha teórica ou prática terapêutica, que é a ocorrência de alterações de comunicação e linguagem. Sabe-se que para a aquisição e desenvolvimento adequado de fala e linguagem, é essencial a integridade dos sistemas auditivos periféricos e centrais. Os testes audiológicos são utilizados a fim de identificar possíveis alterações auditivas as quais podem interferir no desempenho comunicativo do indivíduo. Os testes audiológicos objetivos são importantes instrumentos para avaliar a população com TEA, pois estes não dependem da resposta direta do indivíduo. Estímulos de fala podem ser utilizados para avaliar como indivíduos com TEA decodificam o estímulo complexo. Crianças com esse transtorno apresentam uma responsividade atípica a estímulos como um sintoma proeminente, universal e pouco entendido. Tais indivíduos podem apresentar distúrbios perceptuais, de atenção e memória. Tendo em vista estes aspectos, torna-se necessária a investigação da integralidade da via auditiva dessa população, por meio de testes objetivos a fim de proporcionar um diagnóstico preciso, além de uma intervenção mais eficaz. Assim, o objetivo do presente trabalho é caracterizar os resultados das do Potencial Evocado Auditivo de Tronco Encefálico (PEATE), tanto com estímulo de fala como click, em indivíduos que apresentam o TEA e compará-los com indivíduos com desenvolvimento típico.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)