Busca avançada
Ano de início
Entree

Eficácia terapêutica de nanopartículas de ouro em encefalopatia séptica em camundongas

Processo: 16/18602-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2016
Vigência (Término): 31 de outubro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia
Pesquisador responsável:Stephen Fernandes de Paula Rodrigues
Beneficiário:Davide Di Bella
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/05146-6 - Eficácia terapêutica de nanopartículas de ouro em glioblastoma multiforme ou encefalopatia séptica em camundongas, AP.JP
Assunto(s):Encefalopatias   Inflamação   Ensaio de imunoadsorção enzimática   Nanopartículas   Modelos animais

Resumo

Dentre as doenças mais graves que afetam o SNC está a encefalopatia séptica. Ocorre em 71% dos pacientes acometidos de choque séptico e seus sintomas incluem: alteração da consciência, variando de delírio a coma, convulsões, prejuízo cognitivo por longo período e deficiência funcional entre os sobreviventes. Contribuem de forma marcante para o desenvolvimento da encefalopatia séptica: processo inflamatório e desequilíbrio oxidativo. Nanopartículas de ouro (AuNPs) têm enorme potencial no combate a essa condição, uma vez que possuem propriedades antiinflamatória e antioxidante intrínsecas. Dessa forma, propomos estudar o efeito do tratamento com AuNPs em camundongos com encefalopatia séptica. Para isso, sepse será induzida em camundongos utilizando o modelo de ligação e perfuração intestinal. Os animais serão tratados intravenosamente (IV) com AuNPs-cit ou AuNPs-IgG, (10 elevado a 12 partículas/mL), e como controle dos tratamentos com as AuNPs, solução contendo o anticorpo anti-H3.3, utilizada para preparar as AuNPs-IgG, ou com solução de aurotiomalato de sódio (Sigma-Aldrich), em dose anti-inflamatória, 0,7 ug/g de massa corpórea ou com solução fisiológica (grupo controle), em dose única, 2 ou 4 horas após indução da sepse. Os seguintes parâmetros serão medidos 6 horas após indução da sepse: Permeabilidade da BHE, citocinas e produtos da ciclooxigenase (COX) no parênquima cerebral, contagem de leucócitos e plaquetas circulantes, marcadores de coagulação/ativação plaquetária e comportamento de leucócitos e plaquetas em vasos cerebrais. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)