Busca avançada
Ano de início
Entree

Utilização da ceftriaxona intraperitoneal no tratamento da peritonite em equinos

Processo: 16/08712-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2016
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica e Cirurgia Animal
Pesquisador responsável:CARLOS ALBERTO HUSSNI
Beneficiário:Juliana de Moura Alonso
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Peritonite   Antibióticos   Cavalos

Resumo

Apesar dos esforços na busca de tratamentos mais efetivos, a peritonite equina permanece como uma das afecções clínico cirúrgicas de maior mortalidade, requerendo estudos para adoção de estratégias terapêuticas mais efetivas que resultem no aumento da taxa de sobrevida dos animais acometidos. Baseando-se no fato de estudo preliminar inédito na FMVZ-UNESP/Botucatu, SP revelar que a utilização da ceftriaxona pela via intraperitoneal proporciona elevadas concentrações do fármaco (acima da concentração mínima inibitória) por períodos superiores à 24 horas, bem como na eficácia aparente obtida em alguns casos clínicos, o presente estudo objetiva avaliar pela primeira vez, em estumo sistematizado, o tratamento com ceftriaxona intraperitoneal sobre as variáveis clínicas, laboratoriais, microbiológicas, ultrassonográficas e de desfecho clínico em casos de peritonite em equinos. Serão incluídos no estudo equinos com sinais clínicos de peritonite associados à contagem de células nucleadas e 10.000/µL e/ou proteína e2,3 g/dL, associada a diferença e 50 mg/dL entre a concentração de glicose sanguínea e peritoneal. Após inclusão no estudo, o líquido peritoneal destes animais será submetido à cultivo microbiológico e teste de sensibilidade microbiana "in vitro". Os animais receberão terapia suporte associada a cinco dias de terapia intraperitoneal com ceftriaxona na dose de 25 mg/Kg, a cada 24 horas. Este antimicrobiano poderá ser utilizado isoladamente ou associado à outros antibióticos sistêmicos, de acordo com a conduta individual do médico veterinário responsável pelo atendimento. A fim de se monitorar a resposta clínica frente à terapêutica instituída serão realizadas avaliações seriadas de: exame físico; comportamento; hemograma e análise do líquido peritoneal; concentração do amiloide A sérico; níveis glicêmicos e de lactato; hemogasometria e avaliação ultrassonográfica. Considerando-se o fato de a ceftriaxona ser um antimicrobiano de amplo espectro e ligado à proteínas plasmáticas, estando na forma fixa e livre em equilíbrio concentração-dependente, e ser a forma livre a porção ativa da ceftriaxona são necessárias elevadas doses sistêmicas para alcançar o efeito terapêutico desejado. Assim, a utilização da ceftriaxona por via intraperitoneal em equinos, por resultar em maior disponibilidade de fármaco livre, poderá levar não só à amplificação do efeito terapêutico, mas também à melhores resultados clínicos.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
ALONSO, JULIANA DE MOURA; ESPER, CAROLINA SOARES; FIGUEIREDO PANTOJA, JOSE CARLOS; ROSA, GUSTAVO DOS SANTOS; GIAMPIETRO, RODRIGO ROSA; DOS SANTOS, BRUNA; GUERRA, SIMONY TREVIZAN; RIBEIRO, MARCIO GARCIA; TAKAHIRA, REGINA KIOMI; WATANABE, MARCOS JUN; GARCIA ALVES, ANA LIZ; RODRIGUES, CELSO ANTONIO; MOGOLLON GARCIA, HENRY DAVID; HUSSNI, CARLOS ALBERTO. Accuracy of differences in blood and peritoneal glucose to differentiate between septic and non-septic peritonitis in horses. Research in Veterinary Science, v. 132, p. 237-242, OCT 2020. Citações Web of Science: 2.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.