Busca avançada
Ano de início
Entree

"Ação de um novo derivado tiazolidínico (GQ-11) no processo de reparo tecidual em modelo experimental de resistência a insulina e cirurgia vascular".

Processo: 16/00233-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de abril de 2016
Vigência (Término): 31 de maio de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia
Pesquisador responsável:Dulcineia Saes Parra Abdalla
Beneficiário:Jacqueline Cavalcante Silva
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):16/19737-1 - Ação de um novo derivado tiazolidínico (GQ-11) no processo de reparo tecidual em modelo experimental de isquemia., BE.EP.DR   16/16850-1 - Ação de um novo derivado tiazolidínico (GQ-11) no processo de reparo tecidual em modelo experimental de resistência à insulina e isquemia, BE.EP.DR
Assunto(s):Bioquímica clínica   Reparo tecidual   Resistência à insulina   Procedimentos cirúrgicos vasculares

Resumo

As tiazolidinadionas (TZDs) compreendem uma classe de fármacos hipoglicemiantes que reduzem a resistência à insulina pelos tecidos periféricos. Evidências indicam que o efeito hipoglicemiante das TZDs é mediado via ativação das isoformas gama, alfa e/ou beta/delta de receptores ativados por proliferador de peroxissoma (PPARs). Inicialmente, três TZDs foram aprovadas para uso clínico: troglitazona, rosiglitazona e pioglitazona. Recentemente, estes fármacos vêm sendo associados a importantes efeitos adversos tais como hepatotoxicidade, risco cardiovascular e alterações no perfil lipídico. Desse modo, impulsionou-se a busca por novos derivados tiazolidínicos, que compartilhem dos efeitos benéficos acompanhado da minimização de efeitos adversos. Como resultado, vários novos derivados têm sido desenvolvidos e muitos outros se encontram em estágios pré-clínicos e clínicos de desenvolvimento.Dados preliminares in vivo obtidos em nosso grupo de pesquisa mostraram que um dos novos derivados tiazolidínicos, GQ-11, além de aumentar a resposta à insulina, pode modular citocinas que participam do processo inflamatório e da angiogênese, indicando assim, que esta possa ter efeitos que a tornem uma alternativa terapêutica promissora no reparo tecidual, em especial, nos casos de descompensação metabólica como ocorre no diabetes e também como um agente preventivo de complicações provenientes de processos inflamatórios na cirurgia vascular. Nesse contexto, propõe-se o aprofundamento desses estudos para investigar os efeitos da GQ-11 nas diversas etapas do processo de reparo tecidual e elucidar seu mecanismo de ação.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
SILVA, JACQUELINE C.; PITTA, MARINA G. R.; PITTA, IVAN R.; KOH, TIMOTHY J.; ABDALLA, DULCINEIA S. P. New Peroxisome Proliferator-Activated Receptor Agonist (GQ-11) Improves Wound Healing in Diabetic Mice. ADVANCES IN WOUND CARE, v. 8, n. 9, p. 417-428, SEP 1 2019. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.