Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise da expressão de ALDH1L1 nos tumores de célula de Hürthle

Processo: 15/19423-4
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2016
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Janete Maria Cerutti
Beneficiário:Nathalie Townsend Adelantado
Instituição Sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Endocrinologia   Etiologia   Glândula tireoide   Reação em cadeia da polimerase em tempo real   Imuno-histoquímica   Biópsia por agulha fina   Estudos epidemiológicos
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Adenoma de Células de Hürthle | Aldh1L1 | Carcinoma de Células de Hürthle | Carcinoma Folicular | Tiróide | Endocrinologia

Resumo

Estudos epidemiológicos têm demonstrado que a prevalência dos nódulos da tiroide na população adulta tem aumentado consideravelmente. Cerca de 4 a 7% da população adulta apresenta nódulo palpável. Entretanto, com o uso da ultrassonografia de alta resolução, a prevalência pode chegar a 67% da população. Uma vez identificado um nódulo na tiroide, o principal dilema no manejo do nódulo é excluir câncer. Ao se detectar um nódulo tireoidiano, uma história clínica completa, exame clínico cuidadoso, exames laboratoriais e de imagem irão auxiliar na conduta e seleção dos nódulos que devem ser submetidos a Punção Aspirativa por Agulha Fina (PAAF) para diagnóstico citológico. Apesar da PAAF apresentar excelente sensibilidade e especificidade no diagnóstico dos nódulos da tiroide, devido à semelhança citológica entre as lesões benignas (ACH e AFT) e as lesões malignas (CCH e CFT) e à dificuldade de detectar presença de invasão capsular ou vascular, 30% dos nódulos são classificados como indeterminados. Pacientes com diagnóstico indeterminado são encaminhados para cirurgia, para diagnóstico mais preciso e tratamento apropriado. Assim, vários grupos têm buscado marcadores moleculares que pudessem auxiliar no diagnóstico pré-cirúrgico dos nódulos da tiroide, principalmente os nódulos classificados como indeterminados na PAAF. Nosso grupo identificou, por meio da técnica SAGE, 18 transcritos que apresentavam expressão nos ACH e que não eram expressos nos CFT e CCH. Posterior validação por PCR quantitativo demonstrou que os genes ALDH1L1, KLK1 e PVALB possuem maior sensibilidade e especificidade na distinção entre as lesões benignas das malignas da tiroide; i.e, ALDH1L1, KLK1 e PVALB encontravam-se presentes na grande maioria dos ACH, enquanto sua expressão não foi detectada nos CFT e CCH. O presente projeto tem como objetivo inicial validar, por meio da técnica de imunohistoquímica, a expressão de ALDH1L1 nos ACH, AFT, CCH e CFT. Além disso, o papel de ALDH1L1 na patogênese dos tumores da tiroide ainda não foi caracterizado. Assim, posteriormente, iremos clonar o cDNA do gene ALDH1L1 em vetor de expressão, para em seguida avaliarmos se a expressão ectópica interfere nos processos associados na gênese e/ou progressão dos tumores.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)