Busca avançada
Ano de início
Entree

Lidando com o inimigo: efeitos do tratamento com N-acetilcisteína na susceptibilidade e resiliência ao estresse de derrota social em ratos

Processo: 15/25308-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de abril de 2016
Vigência (Término): 31 de março de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Neuropsicofarmacologia
Pesquisador responsável:Marcelo Tadeu Marin
Beneficiário:Gessynger Morais Silva
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCFAR). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):18/05496-8 - Papel das projeções pálido ventral-núcleo acumbens na susceptibilidade e resiliência ao estresse de derrota social, BE.EP.DR
Assunto(s):Suscetibilidade   Resiliência psicológica   Acetilcisteína

Resumo

O estresse é uma resposta geral do organismo frente à exposição a estímulos nocivos, que, quando prolongada, pode levar ao desenvolvimento de transtornos cognitivos, de humor e problemas cardiovasculares. Apesar disso, nem todo indivíduo exposto ao estresse desenvolve doenças. Essa diferença individual pode estar relacionada com a capacidade do indivíduo em adaptar-se aos eventos aversivos, ou seja, sua resiliência ou susceptibilidade ao estresse. O modelo de estresse de derrota social (EDS) possui validade preditiva, de face, relevância etológica e similaridade com o estresse psicossocial vivenciado por humanos. Após a exposição de roedores ao EDS, dois fenótipos são claramente percebidos: um susceptível, que apresenta diminuição da interação social e alterações comportamentais relacionadas a depressão, e um resiliente, que não apresenta essas alterações. Esses fenótipos podem ser objetivamente separados por meio do teste de interação social. Além disso, esses animais possuem diferentes alterações neurais frente ao EDS. Evidências apontam uma participação importante do fator de transcrição FosB na resiliência ao estresse e que alterações no equilíbrio da neurotransmissão glutamatérgica frente ao estresse podem estar relacionadas com o desenvolvimento de doenças causadas pelo estresse. Nesse sentido, a N-acetilcisteína (N-AC), um pró-fármaco que leva ao aumento da concentração extrasináptica de glutamato, por meio da ativação do trocador cistina-glutamato (xCT), tem mostrado resultados promissores no seu tratamento de transtornos induzidos pelo estresse. Assim, o objetivo desse trabalho será avaliar as alterações comportamentais, relacionadas à memória, depressão e ansiedade, alterações cardiovasculares e a quantidade das proteínas FosB e xCT nos fenótipos resiliente e susceptível de ratos expostos ao EDS e avaliar os efeitos do tratamento com a N-AC nessas alterações.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MORAIS-SILVA, GESSYNGER; COSTA-FERREIRA, WILLIAN; GOMES-DE-SOUZA, LUCAS; PAVAN, JACQUELINE C.; CRESTANI, CARLOS C.; MARIN, MARCELO T. Cardiovascular outcomes related to social defeat stress: New insights from resilient and susceptible rats. NEUROBIOLOGY OF STRESS, v. 11, NOV 2019. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.