Busca avançada
Ano de início
Entree

Transformações urbanas no Baixo Augusta - SP: um estudo sobre a apropriação no espaço urbano

Processo: 15/11198-1
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2015
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Arquitetura e Urbanismo - Fundamentos de Arquitetura e Urbanismo
Pesquisador responsável:Manoel Antonio Lopes Rodrigues Alves
Beneficiário:Marília Reis Sé
Instituição Sede: Instituto de Arquitetura e Urbanismo de São Carlos (IAU). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):16/23273-0 - Transformações urbanas e processos socioespaciais: práticas e apropriações do/no espaço urbano, BE.EP.MS
Assunto(s):Cidades   Contemporaneidade   Áreas centrais   Espaço urbano   Fragmentação socioespacial   São Paulo (SP)
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Apropriação | Baixo Augusta | Cidade Contemporânea | Espacialidades | Processos Socioespaciais e Produção da Cidade Contemporânea

Resumo

O habitar contemporâneo se dá em torno do caráter dinâmico da cidade, que agrega conteúdos heterogêneos (pessoas, objetos, informações) e ao mesmo tempo os coloca em movimento (em fluxo, materialmente ou não), gerando transformações nos ritmos de vida e no modo como seus habitantes relacionam-se entre si e com o espaço urbano. A apropriação dos espaços da cidade coincide com a noção do habitar uma vez que habitar é apropriar-se de um espaço, incluindo a dimensão do conflito. Os habitantes no uso e na apropriação do espaço urbano, também o constroem, por meio de suas práticas. As espacialidades e temporalidades distintas impressas no espaço podem gerar urbanidade, entendida como um fenômeno produzido nas relações entre o social e o espacial. Assim sendo, este habitar na metrópole pode ser observado em cidades como São Paulo e em porções de território onde práticas socioespaciais diversas ocorrem e são reconhecidas tanto por atores sociais quanto por pesquisadores, podendo constituir-se como totalidades empiricamente construídas. A construção de um olhar se faz, então, necessária sobre esses locais onde há potência de análise, ou seja, onde aspectos e processos não dizem respeito somente ao seu contexto urbano particular, mas também apontam pistas e caminhos de abordagem da problemática da cidade contemporânea. Para tanto, a construção de um conjunto de procedimentos adequados para a aproximação ao campo se mostra também indispensável. Tendo como objeto de observação o Baixo Augusta - SP, a presente pesquisa perseguirá, portanto, a questão do habitar na cidade contemporânea através da apropriação do espaço urbano frente às dinâmicas urbanas de transformação por vezes tão rápidas e "desorientadoras" aos seus habitantes, com o anseio de melhor compreensão de mundo e também, propositivamente, de sua construção. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
SÉ, Marília Reis. Práticas socioespaciais no espaço urbano: reflexões cruzadas entre o Baixo Augusta-São Paulo/Brasil e a Alameda de Hércules-Sevilha/Espanha. 2018. Dissertação de Mestrado - Universidade de São Paulo (USP). Escola de Engenharia de São Carlos (EESC/SBD) São Carlos.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas utilizando este formulário.