Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização estrutural das glândulas anexas e dos componentes neuroendócrinos do sistema digestório do baiacu Sphoeroides testudineus (LINNAEUS 1758) (Tetraodontidae: Tetraodontiformes)

Processo: 15/02084-2
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2015
Vigência (Término): 30 de novembro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Histologia
Pesquisador responsável:Renata de Britto Mari
Beneficiário:Kainã Rocha Cabrera Fagundes
Instituição Sede: Instituto de Biociências (IB-CLP). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus Experimental do Litoral Paulista. São Vicente , SP, Brasil
Assunto(s):Tumores neuroendócrinos   Somatostatina   Baiacu   Caracterização estrutural   Imuno-histoquímica
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Enterocromafins | imunohistoquimica | Sistema Enteropancreático | somatostatina | Sphoeroides testudineus | Histoquímica e Imunohistoquímica

Resumo

Os peixes apresentam uma grande biodiversidade de espécies e habitam uma gama de ambientes. A morfologia permite compreender melhor a ecologia e os hábitos alimentares das espécies. Variações na morfologia do sistema digestório dos peixes estão relatadas em algumas espécies, tais como os baiacus, pertencentes à ordem Tetraodontiformes, apresentam especialização do sistema digestório que o permite expandir o corpo por meio da ingestão de água ou ar se defendendo contra predadores. O baiacu Sphoeroides testudineus (LINNEAUS 1758) se alimenta basicamente de moluscos bivalves, gastrópodes e macroalgas e pode ser encontrado no Sistema Estuarino de Santos-São Vicente. Em estudos prévios, concluiu-se que essa espécie possui uma porção dilatada do esôfago que é responsável pela expansão corpórea e digestão química do alimento. Outra observação feita foi a ausência do pâncreas e a presença de um fígado proeminente, ocupando mais de um terço do corpo. Os peixes podem apresentar a porção exócrina do pâncreas dispersa no fígado e mesentério. A porção endócrina pode se apresentar na forma de sistema gastroenteropancreático (ou enteropancreático) e as células podem ser classificas em enterocromafins ou não e sistema do tipo fechado e aberto. As células produtoras de somatostatina não são enterocromafins e podem ser evidenciadas pela marcação do mensageiro químico através da imunohistoquímica. Esse mensageiro tem grande importância na regulação da insulina e glucagon no organismo. Por isso, esse trabalho tem o objetivo de descrever a morfologia das glândulas anexas, evidenciar os componentes neuroendócrinos argirófilos do Sistema Enteropancreático e as células imumorreativas à somatostatina para evidenciar o pâncreas do S. testudineus. Para isso, serão utilizados 30 espécimes adultos de S. testudineus oriundos de pesca artesanal na Baía de Santos, da qual serão coletados a porções intestinais proximal, médio e distal, e em seguida submetidos as técnicas de HE para uma descrição geral das glândulas anexas, de Grimelius para visualização dos componentes neuroendócrinos argirófilos do Sistema Enteropancreático e a imunohistoquímica com um anticorpo específico para somatostina.(AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)