Busca avançada
Ano de início
Entree

Validação do Índice de Felicidade Pemberton para o Brasil

Processo: 14/11370-6
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 30 de outubro de 2014
Vigência (Término): 29 de junho de 2015
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Fundamentos e Medidas da Psicologia
Pesquisador responsável:Fabiana Alexandre Ferreira
Beneficiário:Fabiana Alexandre Ferreira
Anfitrião: Djamel Abdelkader Zighed
Instituição-sede: Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP). Campus Sertãozinho. Sertãozinho , SP, Brasil
Local de pesquisa: Université Lumière Lyon 2, França  
Assunto(s):Felicidade   Validação   Psicometria   Psicologia positiva

Resumo

O Índice de Felicidade Pemberton (IFP) foi desenvolvido pelos pesquisadores Gonzalo Hervás e Carmelo Vázquez da Universidade Complutense de Madrid. O índice envolve 21 declarações, onde onze delas estão relacionadas a diferentes domínios do bem-estar lembrado e dez relacionadas ao bem-estar vivenciado. A soma destes itens produz um índice de bem-estar combinado. Os itens iniciais e as escalas de referência foram traduzidos para sete línguas e completados via Internet por indivíduos de nove países, incluindo Alemanha, Índia, Japão, México, Rússia, Espanha, Suécia, Turquia e EUA. Os resultados iniciais deste estudo demonstraram bons indicadores psicométricos do IFP, tais como consistência interna, estrutura unifatorial, validade convergente e incremental. Considerando que o IFP foi aplicado com sucesso para nove países é que julgamos apropriado verificar sua generalidade, estendendo sua aplicação também para o Brasil sendo então o objetivo geral desta proposta disponibilizar, para uso no Brasil, uma medida integrada de bem-estar subjetivo que incorpore o bem-estar geral, hedonista, eudaimonico e social, envolvendo perspectivas de bem-estar vivenciado e lembrado. Como objetivos específicos, pretendemos realizar a tradução e adaptação cultural do Índice de Felicidade Pemberton, avaliar a fidedignidade do instrumento através dos coeficientes de correlação para consistência interna, divisão pela metade e teste-reteste, entre outros; analisar a validade de conteúdo e a validade aparente dos itens que compõem o instrumento; analisar a validade total do instrumento a partir das análises fatorial exploratória e confirmatória; analisar a validade concorrente aferida a partir da comparação com o Questionário de Felicidade Oxford. Quanto à metodologia, a pesquisa será realizada entre estudantes universitários na região de Ribeirão Preto. Os dados serão coletados ao longo de 2014 e pretende-se alcançar o número entre 500 e 1.000 alunos. Os instrumentos para a coleta dos dados incluem um Questionário Sociodemográfico com questões sobre dados pessoais, econômicos, situacionais, de contexto social, saúde, religiosidade e postura sociopolítica, o Índice de Felicidade Pemberton, após tradução e adaptação cultural para língua portuguesa e brasileira e o Questionário de Felicidade Oxford com 29 itens para serem respondidos em uma Escala Likert de seis pontos. O tratamento psicométrico terá como objetivo calcular a fidedignidade e validade do teste. A fidedignidade do instrumento será avaliada através dos coeficientes de correlação para consistência interna, divisão pela metade e teste-reteste. A validação do IFP será realizada por meio da análise da validade de conteúdo e da validade aparente dos itens que compõem o instrumento (escala); também através da análise da validade total do instrumento a partir da análise fatorial exploratória e confirmatória e pela análise da validade concorrente aferida a partir da comparação com o Questionário de Felicidade Oxford.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)