Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da colheita de apitoxina no desenvolvimento de glândulas hipofaringeanas em abelhas Apis mellifera L.

Processo: 14/10403-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2014
Vigência (Término): 31 de julho de 2015
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Produção Animal
Pesquisador responsável:Ricardo de Oliveira Orsi
Beneficiário:Paula Onari
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Apicultura   Geleia real   Colmeias   Apis mellifera   Morfometria   Microscópio eletrônico   Teste de Tukey

Resumo

A colheita de apitoxina é um manejo estressante para as colmeias de Apis mellifera L. Essa atividade promove a liberação dos ferômonios de alarme isopentilacetato e 2-heptanona, os quais alteram a comunicação e o comportamento das abelhas, modificando as atividades rotineiras dos enxames, como a divisão de trabalho, o que pode promover prejuízos às abelhas que estão se desenvolvendo dentro da colmeia, especificamente prejudicar o desenvolvimento de suas glândulas hipofaringeanas. Essas glândulas são responsáveis pela síntese da fase proteica da geleia real, alimento de larvas jovens e rainha, sendo, portanto, sua integridade importante para o desenvolvimento dos enxames. Assim, os objetivos do presente projeto serão avaliar se a colheita de apitoxina pode influenciar no desenvolvimento (tamanho dos ácinos) das glândulas hipofaringeanas em abelhas Apis mellifera L. Dessa maneira, a apitoxina será colhida de 05 colmeias experimentais, no período da manhã, com início às 09h00, com duração de uma hora, por meio de coletor elétrico, e será realizada por três meses. Para a avaliação do desenvolvimento das glândulas hipofaringeanas serão coletadas mensalmente, 20 abelhas provenientes das 05 colmeias, as quais serão eutanasiadas e terão suas cabeças processadas para análises morfométricas em resina, coradas em hematoxilina-eosina. Com auxílio de câmera digital acoplada ao microscópio e um software de análise de imagem será determinado o diâmetro dos ácinos das glândulas hipofaringeanas. Os resultados obtidos serão comparados por ANOVA, seguida do teste de Tukey para verificar diferenças entre as médias. Será considerado como estatisticamente diferentes quando p<0,05.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)