Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito do tabagismo e do consumo moderado de álcool sobre a expressão de genes da via proteolítica ubiquitina-proteassoma

Processo: 14/02267-7
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2014
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Patricia Monteiro Seraphim
Beneficiário:Tamara dos Santos Gouveia
Instituição Sede: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente , SP, Brasil
Assunto(s):Fisiologia do esforço   Doenças musculares   Tabagismo   Alcoolismo   Hábito de fumar   Treinamento aeróbio   Enzimas proteolíticas   Complexo de endopeptidases do proteassoma   Ratos Wistar
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Alcoolismo | Proteólise muscular | Tabagismo | Treinamento | Fisiologia do esforço

Resumo

Com o aumento da industrialização o comportamento da sociedade foi se modificando, sendo cada vez mais expostos a fatores de risco à sua saúde como o tabagismo e o alcoolismo que causam doenças importantes, entre elas, o DPOC (doença pulmonar obstrutiva crônica) e a Miopatia alcoólica que interferem no sistema musculoesquelético provocando atrofia muscular, ao dar início ao processo de proteólise. Este processo é regulado pela via de sinalização Ubiquitina-proteassoma (UPS) por meio da expressão de proteínas como a Ubiquitina (codificada pelo gene Ubb), E214kDa (gene Ube2b) e a MuRF-1 (codificada pelo gene Trim63). Mas, tem sido confirmado em vários estudos, que o exercício físico pode diminuir o processo de atrofia muscular. Assim o objetivo do estudo é avaliar o efeito de um programa de tabagismo, alcoolismo e treinamento aeróbio no músculo EDL (extensor longo dos dedos) de ratos machos Wistar sobre a análise da expressão dos genes Ubb, Ube2b e Trim63. Os animais serão mantidos no Biotério II do Departamento de Fisioterapia da Faculdade de Ciências e Tecnologia da UNESP - Campus de Presidente Prudente e serão divididos aleatoriamente em oito grupos com 10 ratos cada: N (não serão expostos a fumaça de cigarro e nem submetidos à ingestão de álcool), F (grupo fumante), A (grupo alcoólico), FA (grupo fumante alcoólico), E (grupo exercício), FE (grupo fumante exercício), AE (grupo alcoólico exercitado), AFE (grupo alcoólico fumante exercitado). Os grupos fumantes serão submetidos a um protocolo de exposição à fumaça de cigarro utilizando a combustão de 4 cigarros, durante 30 minutos, duas vezes ao dia, cinco dias por semana, durante 60 dias. Os animais alcoólicos irão ingerir etanol à concentração experimental de10% v/v durante 60 dias. O programa de treinamento será realizado em uma esteira rolante cinco vezes por semana, durante sessenta dias, de 60 minutos após período de adaptação. Após 24 horas da última sessão de treinamento, os animais serão sacrificados por meio do anestésico Quetamina e Xilasina (40 mg/kg do peso corporal) por via intraperitoneal. Em seguida o músculo esquelético EDL será retirado. E para a quantificação dos genes Ubb, Ube2b e Trim63 será utilizada a técnica de RT-PCR (reverse transcriptase-polimerase chain reaction). A avaliação estatística dos resultados será feita através da comparação das médias, utilizando o Teste ANOVA, paramétrico, com pós-teste quando necessário (Tukey ou Student-Newman-Keuls). As diferenças entre os grupos serão consideradas significantes quando P < 0,05.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)