Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo funcional in vitro e in vivo do gene AMMECR1 e investigação clínica longitudinal de paciente com ausência de cópias funcionais desse gene

Processo: 13/23768-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2014
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Maria Isabel de Souza Aranha Melaragno
Beneficiário:Mariana Moysés Oliveira
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):14/22641-0 - Impacto global das translocações x-autossomo equilibradas na arquitetura da cromatina, BE.EP.DR
Assunto(s):Genética médica   Reparo do DNA   Replicação do DNA   Genótipo

Resumo

Em sua tese de mestrado, a aluna Mariana Moysés Oliveira descreveu uma paciente com translocação t(X;9)(q23;q12) equilibrada com ruptura do gene AMMECR1 no ponto de quebra do cromossomo X, o que ocasionou a ausência de cópias funcionais desse gene. Pouco se sabe sobre a função do gene AMMECR1, porém é conhecido que, em condições normais, a sua expressão é ubíqua e ocorre principalmente na placenta, fígado fetal, cardiomiócitos e osteoblastos, tipos celulares e órgãos esses que foram afetados durante o desenvolvimento da paciente. A proteína AMMECR1 é altamente conservada ao longo da evolução, apresenta uma localização nuclear, possui diversos sítios de fosforilação e uma conformação similar a proteínas que interagem com ácido nucleico, sugerindo um papel regulatório. Essa paciente pode ser um modelo único das consequências fenotípicas da ausência de função de AMMECR1 no organismo humano e o acompanhamento de sua evolução clínica ao longo do tempo deve apontar em quais órgãos e tecidos o gene AMMECR1 exerce um papel importante. Será investigada a expressão do gene Ammecr1 durante o desenvolvimento de camundongos de forma a se verificar se os tecidos embrionários que dão origem aos órgãos afetados na paciente apresentam maiores níveis de expressão desse gene. Este estudo in vivo fornecerá maior embasamento para a correlação entre as alterações fenotípicas da paciente e a ausência de expressão de AMMECR1. Serão realizados estudos in vitro em linhagens de tipos celulares em que o gene AMMECR1 é altamente expresso para se determinar a sublocalização de seu produto proteico e se obter indícios da sua função no contexto celular. Além disso, será realizado o estudo funcional do gene AMMECR1 em diferentes modelos celulares experimentais: linhagens de células linfoblastoides da paciente e linhagens de células linfoblastoides e de células tronco mesenquimais normais, com e sem o silenciamento do gene AMMECR1. Nessas linhagens celulares, serão avaliadas as respostas biológicas consequentes da ausência ou diminuição da expressão de AMMECR1, como proliferação e ciclo celular, apoptose, assim como as vias de sinalização possivelmente moduladas por esse gene. Assim, a elucidação da função de AMMECR1 pode levar ao reconhecimento de vias que governam processos primários no contexto celular, auxiliando no entendimento dos mecanismos que regulam a replicação, a transcrição e o reparo do DNA. A associação dos resultados de estudos in vitro com o estudo clínico detalhado dessa paciente e os estudos in vivo em camundongos revelarão em quais órgãos e tecidos atuam as vias de sinalização reveladas.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)