Busca avançada
Ano de início
Entree

Concentrado de plaquetas em equinos: comparação entre a obtenção por dupla centrifugação e pela utilização de filtro e-pet (equine platelet enhancement therapy)

Processo: 13/10457-8
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2013
Vigência (Término): 31 de outubro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica e Cirurgia Animal
Pesquisador responsável:Ana Liz Garcia Alves
Beneficiário:Mariana Lopes da Conceição
Instituição Sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Biotecnologia   Regeneração tecidual   Plasma rico em plaquetas   Centrifugação   Leucócitos   Fatores de crescimento   Análise custo-benefício   Equinos
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:equinos | fatores de crescimento | filtro E-PET (Equine Platelet Enhancement Therapy) | Plasma rico em plaquetas (PRP) | protocolo de dupla centrifugação | Regeneração Tecidual | Medicina Equina

Resumo

O Plasma Rico em Plaquetas (PRP) é uma técnica de biotecnologia que consiste em uma alta concentração autóloga de plaquetas em um pequeno volume de plasma de quatro a cinco vezes maior que a concentração sérica a fim de se obter melhores resultados no tratamento de diversas patologias enfermidades. O uso de PRP é justificado pelos fatores de crescimento presentes em grânulos no interior das plaquetas, que sinalizam o local para que células epiteliais e mesenquimais possam migrar, se dividir e, consequentemente, aumentar a síntese de matriz extracelular. De forma geral, esses fatores de crescimento apresentam características mitogênicas, quimiotáxicas e angiogênicas que ampliam o poder de reparação tecidual ao promover migração de células responsáveis pela defesa do organismo e pelo aumento da vascularização. Há diversos protocolos de PRP em equinos descritos na literatura, dentre os quais destaca-se o proposto por CARMONA et al., 2007, onde obteve-se a maior concentração plaquetária (2,36 vezes mais do que a concentração sérica), segundo VENDRUSCOLO et al., 2012. Porém, trata-se de um procedimento que requer um laboratório (ambiente asséptico) e uma centrífuga. Em contrapartida, existe no mercado europeu um filtro (Equine Platelet Enhancent Therapy - E-PET), que proporciona a produção do PRP no próprio ambiente em que o animal se encontra, não necessitando de centrífuga e outros recursos laboratoriais. Este estudo objetiva comparar a utilização do concentrado de plaquetas obtido por protocolo de dupla centrifugação e aquele obtido pelo E-PET, levando-se em consideração a concentração plaquetária final, a quantificação de fatores de crescimento, a presença de leucócitos e a relação custo-benefício entre tais métodos.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)