Busca avançada
Ano de início
Entree

Alguns enigmas e as facetas diabólicas da linguagem humana: as relações entre linguagem e cognição investigadas no campo de estudos linguísticos

Processo: 13/02646-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2013
Vigência (Término): 30 de abril de 2014
Área do conhecimento:Linguística, Letras e Artes - Linguística - Teoria e Análise Lingüística
Pesquisador responsável:Fernanda Miranda da Cruz
Beneficiário:Tamiris Feitosa Costa
Instituição-sede: Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (EFLCH). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Guarulhos. Guarulhos , SP, Brasil
Assunto(s):Linguagem   Cognição   Mente

Resumo

Essa pesquisa pretende localizar os lugares ou campos teóricos produtivos para um melhor entendimento da relação entre linguagem e cognição humana. O objetivo central é fazer um percurso teórico que ajude a ver e compreender melhor as relações passíveis de serem estabelecidas teoricamente sobre cognição e linguagem. Para tanto, o caminho primeiro eleito para o desenvolvimento desta pesquisa está em traçar as relações estabelecidas ou estabelecíveis entre Linguística, como campo do conhecimento e as relações entre linguagem e cognição. Nosso pressuposto fundamental é: se podemos estabelecer que há uma relação inegável entre linguagem e cognição, em que termos esta relação ou estas relações estariam assentadas? Possivelmente as teorias ou pensadores que se debruçaram sobre esta questão podem, em alguns pontos, divergir ou convergir. Guiados por seus pontos de vista ou do campo do conhecimento a partir do qual falam, alguns autores, por exemplo, os estudados até aqui, Chomsky 1970, Varela, Rosch e Thompson 1991, Pinker 1994, Tomasello 1999, Bernárdez, 1999, Soares, Torres e Gonçalves, 2004 elegeram categorias analíticas para servirem como elementos centrais de uma espécie de construção metodológica para a teorização ou o entendimento das relações entre linguagem e cognição. A depender dos elementos centrais eleitos em suas perspectivas, a reflexão sobre essas relações se deixa ver diferentemente. Ora é a cultura eleita como ponto de partida, ora é a linguagem, ora é o sentido, ora são as estruturas linguísticas, ora é a cognição, ora o pensamento, ora as capacidades cognitivas, ora as estruturas mentais, ora a percepção, ora é a interação social para citar alguns. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)