Busca avançada
Ano de início
Entree

Peptídeos salivares de Aedes aegypti

Processo: 13/00740-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de julho de 2013
Vigência (Término): 30 de junho de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia
Pesquisador responsável:Anderson de Sá Nunes
Beneficiário:Priscila Guirão Lara
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:09/09892-6 - Imunoma funcional da saliva de Aedes aegypti, AP.JP
Assunto(s):Insetos hematófagos   Vetores de doenças   Aedes aegypti   Febre de Chikungunya   Dengue   Febre amarela   Controle de vetores   Proteínas e peptídeos salivares

Resumo

Os mosquitos hematófagos representam o grupo mais importante de vetores de doenças infecciosas e parasitárias para o homem. Nesse contexto, os mosquitos mais relevantes pertencem à família Culicidae na qual a espécie melhor caracterizada é Aedes aegypti, vetor primário dos arbovírus causadores da dengue, febre amarela e febre Chikungunya. As doenças transmitidas por esses mosquitos são a causa de altas taxas de mortalidade e morbidade da população humana, representando um problema mundial de saúde pública. Para os mosquitos terem sucesso na hematofagia e assim adquirirem os nutrientes necessários para a maturação e desenvolvimento de seus ovos, os mesmos devem ser capazes de lidar com as barreiras apresentadas pela fisiologia do hospedeiro vertebrado, sendo elas: o sistema hemostático, a resposta inflamatória e o sistema imune. É através de sua saliva, uma mistura rica em compostos com propriedades anti-hemostática, anti-inflamatória e imunomoduladora, que os mosquitos enfrentam esses desafios. Três classes de atividades anti-hemostáticas foram encontradas na saliva de A. aegypti: anti-agregante de plaquetas, vasodilatadora e anticoagulante. O papel da saliva em algumas células do sistema imune e sistemicamente no hospedeiro vertebrado em contextos de infecções por arbovírus também já foi demonstrado. Esses dados confirmam como diversos patógenos se utilizam de mecanismos moduladores para infectar seus hospedeiros e causar doenças, uma vez que as glândulas salivares são o local onde esses microorganismos se propagam e permanecem até serem transmitidos. Porém, muito do que se sabe a respeito da saliva de A. aegypti foi descrito com material bruto, cuja caracterização é limitada ou inexistente. Sabendo-se da importância da saliva dos artrópodes hematófagos e de seus peptídeos salivares para sua alimentação e para transmissão de patógenos causadores de doenças, torna-se essencial a elucidação de suas ações imunofarmacológicas. No presente projeto de Doutorado estudaremos especificamente o papel de 3 peptídeos descritos no salivoma de A. aegypti, presentes somente em glândulas salivares de mosquitos fêmeas e cujo papel biológico ainda é desconhecido. Esse conhecimento contribuirá com o entendimento do seu papel na hematofagia, na interação vetor/hospedeiro vertebrado e também na busca de novas ferramentas e desenvolvimento de estratégias no controle de vetores e doenças por eles transmitidas. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
LARA, Priscila Guirão. AeMOPE-1: um novo peptídeo imunomodulador salivar de Aedes aegypti com potencial terapêutico na colite experimental.. 2017. Tese de Doutorado - Universidade de São Paulo (USP). Instituto de Ciências Biomédicas (ICB/SDI) São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.