Busca avançada
Ano de início
Entree

Participação da NAD(P)H oxidase na disfunção vascular induzida pelo consumo crônico de etanol: relação com a sinalização redox e inflamação vascular.

Processo: 13/03965-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de julho de 2013
Vigência (Término): 09 de março de 2015
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Cardiorenal
Pesquisador responsável:Carlos Renato Tirapelli
Beneficiário:Ulisses Vilela Hipólito
Instituição-sede: Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto (EERP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Etanol   Apocinina
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Apocinina | Etanol | Leito Mesentérico | Nad(P)H | Farmacologia do Sistema Cardiovascular

Resumo

O consumo crônico de etanol está relacionado a várias doenças cardiovasculares, como por exemplo, hipertensão arterial. Entretanto os mecanismos envolvidos nessa resposta não são totalmente entendidos. Alguns estudos sugerem que a disfunção endotelial/vascular é um possível mecanismo responsável pelo aumento da pressão arterial associado ao consumo de etanol e que a formação de espécies reativas de oxigênio (ERO) derivadas da enzima NAD(P)H oxidase levaria a disfunção endotelial vascular. O ânion superóxido (O2-) proveniente da NAD(P)H oxidase é a principal ERO do sistema cardiovascular. Ele é capaz de reagir com o óxido nítrico (NO) e formar peroxidonitrito (OONO-). Essa resposta reduz a biodisponibilidade do NO e pode levar à nitrosilação proteíca. Além disso, as ERO produzidas pela NAD(P)H agem como moléculas sinalizadoras e ativam vias intracelulares como a via das proteínas quinases ativadas por mitógenos (MAPKs - Mitogen-Activated Protein Kinases) que desempenham importante função na sinalização intracelular e fisiopatologia vascular. O O2- ativa o NFºB além de induzir a expressão da ciclooxigenase 2 (COX-2) e iNOS, que são importantes mediadores do processo inflamatório vascular. O mais conhecido inibidor da NAD(P)H oxidase é a apocinina. Sabe-se que seu efeito decorre do bloqueio da migração da subunidade p47phox para a membrana, desta forma, impedindo a ativação da enzima. A apocinina mostrou-se efetiva em condições de patologia cardiovascular como, por exemplo, na hipertensão arterial. Com relação ao etanol, o tratamento com apocinina preveniu a necrose hepática e cardíaca induzida por esse composto, sugerindo a participação da NAD(P)H nessa resposta. Apesar da importância das ERO na fisiopatologia do etanol no sistema cardiovascular, não há relatos sobre a participação da NAD(P)H nesse processo. O objetivo do presente estudo é avaliar a participação da NAD(P)H na disfunção vascular induzida pelo consumo crônico de etanol em artérias de resistência. Propõe-se ainda avaliar a participação da sinalização redox no processo inflamatório vascular induzido pelo etanol.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
SIMPLICIO, JANAINA A.; DO VALE, GABRIEL T.; GONZAGA, NATALIA A.; LEITE, LETICIA N.; HIPOLITO, ULISSES V.; PEREIRA, CAMILA A.; TOSTES, RITA C.; TIRAPELLI, CARLOS R.. Reactive oxygen species derived from NAD(P) H oxidase play a role on ethanol-induced hypertension and endothelial dysfunction in rat resistance arteries. JOURNAL OF PHYSIOLOGY AND BIOCHEMISTRY, v. 73, n. 1, p. 5-16, . (13/03965-7, 13/15824-9)

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.