Busca avançada
Ano de início
Entree

Exposição intra-uterina ao formaldeído e sua repercussão para o desencadeamento de inflamação alérgica pulmonar na prole

Processo: 13/08796-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2013
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia - Análise Toxicológica
Pesquisador responsável:Adriana Lino dos Santos Franco
Beneficiário:Marília Maiellaro
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:11/51711-9 - Exposição in utero à poluição ambiental e ocupacional e sua repercussão para o desencadeamento de inflamação alérgica pulmonar na prole: correlação com mecanismos epigenéticos, AP.JP

Resumo

O Formaldeído (FA) é um poluente ambiental e ocupacional amplamente utilizado em diversas indústrias, em laboratórios de anatomia, patologia, histologia, emitido pela queima de combustíveis, na queima do gás de cozinha e também é expelido na fumaça do cigarro. O FA é um irritante das vias aéreas, dos olhos e indutor de asma. Ainda, há de se considerar seu potencial efeito carcinogênico. A morbidade e a mortalidade da asma têm sido correlacionadas com a exposição de indivíduos a poluentes ambientais e ocupacionais como o FA. Em estudos anteriores pudemos constatar que o FA induz inflamação pulmonar e hiporreatividade brônquica, sendo tais efeitos mediados por mastócitos, prostanóides, neuropeptídeos e óxido nítrico. Além disso, mostramos que o FA suprimiu a resposta inflamatória pulmonar de origem alérgica, mas aumentou a liberação de mediadores inflamatórios liberados pelo pulmão. Tais eventos são mediados por espécies reativas derivadas do oxigênio. Tendo em vista que estudos mostram que a exposição a poluentes durante a gravidez acarreta em fator de risco para desencadeamento de doenças pulmonares, nosso objetivo será investigar se a exposição intra-uterina ao FA interfere no desencadeamento da resposta alérgica pulmonar, tornando os animais expostos ao FA intra-uterinamente mais susceptíveis a inflamação. Para tanto, grupos de ratas prenhes serão expostas à inalação com FA ou veículo durante a fase da organogênese (6º ao 15º dia de gestação) e os filhotes após 30 dias do seu nascimento serão sensibilizados com ovoalbumina (OVA, 10¼g, sc) dissolvidas em Alúmen (10 mg). Após 7 dias receberão um reforço (OVA, 10¼g, sc) e no 14º dia serão broncoprovocados com OVA (1%, 15 min). Como controle, utilizaremos filhotes de ratas prenhes sem exposição ao veículo ou ao FA. Os dados serão submetidos à análise de variança (ANOVA) seguida de pós-teste Student Newman-Keuls para comparação de todos pares de colunas. As análises estatísticas serão conduzidas utilizando GraphPad Software V.2.01, GraphpadInstat-TM (1990-1993). Os resultados serão expressos como média ± EPM (erro padrão da média). Valores de P<0,05 serão considerados significativos. Nossos estudos priorizarão a análise de células presentes no pulmão, sangue e medula óssea, produção de anticorpos anafiláticos e reatividade das vias aéreas. Assim, estudos que visem à compreensão dos efeitos da exposição in útero a poluentes como o FA são relevantes, principalmente no que tange o estabelecimento de indicadores de efeito mais sensíveis e precoces para o diagnóstico de intoxicações.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MAIELLARO, MARILIA; MACEDO, RODRIGO SILVA; MENDES, EDUARDO; TAVARES-DE-LIMA, WOTHAN; FERREIRA, CAROLINE MARCANTONIO; LINO-DOS-SANTOS-FRANCO, ADRIANA. High dose of formaldehyde exposure during pregnancy increases neutrophils lung influx evoked by ovalbumin in the offspring. Inflammation Research, v. 65, n. 3, p. 179-181, MAR 2016. Citações Web of Science: 2.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.