Busca avançada
Ano de início
Entree

Investigação dos mecanismos envolvidos na formação e estabilização de cromossomos em anel, marcadores supranumerários e deleções terminais

Processo: 13/04479-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de abril de 2013
Vigência (Término): 31 de março de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Humana e Médica
Pesquisador responsável:Maria Isabel de Souza Aranha Melaragno
Beneficiário:Julia Ribeiro da Silva Vallim
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:12/51150-0 - Investigação dos mecanismos envolvidos na formação e estabilização de cromossomos em anel, marcadores supranumerários e deleções terminais, AP.R
Assunto(s):Aberrações cromossômicas   Cromossomos em anel   Deleção cromossômica

Resumo

Graças ao desenvolvimento das técnicas de citogenética molecular, entre elas as de FISH e array, atualmente é possível identificar e caracterizar diferentes tipos de alterações cromossômicas com maior nível resolução. Além das metodologias de citogenética molecular, as técnicas de PCR e de sequenciamento tem permitido a análise do DNA das regiões envolvidas nos rearranjos, possibilitando um melhor conhecimento do papel da arquitetura genômica na formação desses. Dentre os rearranjos cromossômicos, os cromossomos em anel e os pequenos cromossomos marcadores supernumerários (sSMC) constituem tipos peculiares de cromossomos derivados, especialmente em termos de mecanismos de formação e estabilização. Para a estabilização dessas alterações, bem como de deleções terminais, os telômeros desempenham um papel crucial. Desta forma, o presente projeto propõe o estudo de pacientes portadores de cromossomos em anel, de sSMC e de deleções terminais 18q com o intuito de se entender melhor os mecanismos de formação das aberrações cromossômicas, com ênfase nos mecanismos de estabilização envolvendo os telômeros. Serão utilizadas técnicas de citogenética clássica, FISH, array de alta resolução, PCR e sequenciamento para determinar a extensão do desequilíbrio genômico e os pontos de quebra. Os resultados dos estudos nestes pacientes permitirão um maior conhecimento dos mecanismos de formação e estabilização dos desequilíbrios cromossômicos (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)