Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise por PCR em tempo real para pesquisa de Leishmania chagasi no encéfalo de cães naturalmente infectados

Processo: 12/21129-9
Modalidade de apoio:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Mestrado
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2013
Vigência (Término): 30 de abril de 2013
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Patologia Animal
Pesquisador responsável:Gisele Fabrino Machado
Beneficiário:Fernanda Grecco Grano
Supervisor: Luis Carlos Gómez Nieto
Instituição Sede: Faculdade de Medicina Veterinária (FMVA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araçatuba. Araçatuba , SP, Brasil
Local de pesquisa: Universidad de Extremadura, Cáceres (UEx), Espanha  
Vinculado à bolsa:11/03504-4 - Avaliação das subpopulações de linfócitos T em sangue e liquor de cães com leishmaniose visceral: correlação com lesões encefálicas, BP.MS
Assunto(s):Leishmaniose visceral animal   Sistema nervoso central   Leishmania infantum
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:cão | Leishmaniose | qPCR | Sistema Nervoso Central | Neuropatologia

Resumo

A leishmaniose visceral é uma antropozoonose causada pelo protozoário Leishmania chagasi (= L. infantum) e no cão, principal reservatório doméstico, é caracterizada por uma doença sistêmica crônica, principalmente dos órgãos linfóides. As manifestações clínicas variam da observação de cães infectados e assintomáticos à observação de desordens generalizadas que podem resultar na morte do hospedeiro. A infecção periférica pela L. chagasi promove alterações no sistema nervoso central, sobretudo caracterizadas por leptomeningite e coroidite. Cães infectados cronicamente podem apresentar déficit neurológico, entretanto existem poucos relatos que caracterizam as lesões observadas e elucidam a patogenia da forma nervosa da leishmaniose. Em projetos anteriores foi possível verificar a presença de infiltrado inflamatório no encéfalo de cães com Leishmaniose, composto principalmente por linfócitos T CD3+ e também um aumento na intensidade de marcação de astrócitos GFAP+ e de micróglia com o RCA-1. O objetivo deste estudo é definir se o parasito Leishmania chagasi está presente no encéfalo de cães infectados, de modo a esclarecer as diversas divergências existentes na literatura relacionadas à presença ou não do parasita no SNC, o que pode contribuir para explicar a causa da atividade inflamatória observada previamente no local e os sinais clínicos neurológicos. Assim, propõe-se investigar a presença do parasita em cinco regiões do encéfalo de cães com leishmaniose, bem como a quantificação parasitária, esclarecendo a fisiopatogenia neurológica da doença. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
GRANO, FERNANDA G.; MELO, GUILHERME D.; BELINCHON-LORENZO, SILVIA; GOMEZ-NIETO, LUIS C.; MACHADO, GISELE F.. First detection of Leishmania infantum DNA within the brain of naturally infected dogs. Veterinary Parasitology, v. 204, n. 3-4, p. 376-380, . (11/03504-4, 12/10415-0, 12/21129-9)

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas utilizando este formulário.