Busca avançada
Ano de início
Entree

Secreção de vasopressina e ocitocina após estímulo osmótico e hipovolêmico em animais sobreviventes à sepse

Processo: 12/16035-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2012
Vigência (Término): 30 de junho de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Maria José Alves da Rocha
Beneficiário:Lucas Favaretto Tazinafo
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (FORP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Sepse   Vasopressinas   Ocitocina   Sistema hipotálamo-hipofisário   Hematócrito

Resumo

Sepse e suas complicações são reconhecidas como uma das maiores causas de mortalidade em pacientes internados em unidade de terapia intensiva (UTI). Sua fisiopatologia está parcialmente elucidada: é um processo que envolve a interação de componentes imunológicos, hemodinâmicos, endócrinos e genéticos, frente a componentes infecciosos, com a produção exagerada de mediadores inflamatórios, desequilibrando funções fisiológicas. O aumento de vasopressina (AVP) e ocitocina (OT) no plasma, na fase inicial da sepse ocorre, provavelmente, para tentar controlar a pressão arterial que se encontra reduzida. Já na fase tardia os pacientes apresentam níveis normais de AVP e OT plasmática, mesmo em quadro progressivo de hipotensão.O aumento da osmolalidade plasmática, hipotensão e hipovolemia são os estímulos mais potentes para liberação de AVP e OT. Recentes estudos sugerem que alguns pacientes de UTI que sobreviveram à sepse apresentaram perda das funções cognitivas a longo prazo, além de perda na qualidade de vida. Foi observada a presença de sequelas cognitivas e comportamento tipo depressivo em ratos sobreviventes à sepse induzida por ligação e punção cecal. Entretanto ainda é desconhecido se há um comprometimento neuroendócrino nestes pacientes. O objetivo desse projeto será verificar se há um comprometimento do eixo hipotálamo neurohipófise que leve a alterações da secreção de AVP e OT após estímulo osmótico ou hipovolêmico em animais que sobrevivem à sepse. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
TAZINAFO, Lucas Favaretto. Secreção de vasopressina e ocitocina após estímulo osmótico e hipovolêmico em animais sobreviventes à sepse. 2014. Dissertação de Mestrado - Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (PCARP/BC) Ribeirão Preto.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.