Busca avançada
Ano de início
Entree

As noções de expressividade, esquema corporal e libido para uma filosofia da carne em Merleau-Ponty

Processo: 12/14330-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 01 de março de 2013
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Fundamentos e Medidas da Psicologia
Pesquisador responsável:Reinaldo Furlan
Beneficiário:Reinaldo Furlan
Anfitrião: Etienne Bimbenet
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Local de pesquisa: Université Jean Moulin Lyon III, França  
Assunto(s):Filosofia   Vida   Ontologia (filosofia)   Libido   Maurice Merleau-Ponty

Resumo

Expressividade, esquema corporal e libido são noções chaves que acompanham o desenvolvimento da obra de Merleau-Ponty. O objetivo é investigar e articular essas noções na formação do conceito de carne no último período da obra do filósofo. Destacamos os cursos sobre o conceito de Natureza no Collège de France, que retomam o tema da primeira obra, A Estrutura do Comportamento, sob a perspectiva de uma revisão ontológica mais profunda, aquém da distinção entre consciência e objeto. Nesse sentido a retomada das pesquisas sobre o comportamento animal, à luz da biologia moderna, em particular da etologia e teoria da evolução, para entender a entrada do homem na história da vida. Como diz Merleau-Ponty a esse respeito, antes de tudo é preciso compreender a humanidade como "outra forma de corporeidade". Nesse sentido a importância da noção de esquema corporal, que expressa um sistema de equivalências intersensoriais que compõe a unidade transespacial e transtemporal do mundo no próprio corpo, o que é possível compreender através da noção de carne: o corpo "vê-se vendo, toca-se tocando, isto é, seus movimentos têm um interior, o seu interior tem um exterior". Merleau-Ponty se serve da noção freudiana de Eros para entender esse movimento da vida em circuito com o mundo e os outros, essa "Gestalt pregnante de corporeidade". Em última instância, o corpo, enquanto estesiologia, já é desejo, um sistema de trocas com o mundo e outros esquemas corporais (corpos que também percebem), no qual a linguagem convencional representa um novo investimento libidinal, que, por sua vez, funda uma nova ideia de razão.Palavras-chave: Merleau-Ponty, ontologia, carne, desejo. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)