Busca avançada
Ano de início
Entree

Nanotecnologia na agropecuária: uso da nanoprópolis como alternativa para controle da mastite em sistemas orgânicos de produção leiteira

Processo: 12/03212-6
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2012
Vigência (Término): 30 de setembro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Medicina Veterinária Preventiva
Pesquisador responsável:Helio Langoni
Beneficiário:Marcella Zampoli Troncarelli
Instituição Sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Mastite bovina   Nanotecnologia   Bactérias   Própolis   Leite   Qualidade do leite
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:bactérias | bovino | mastite | Nanotecnologia | Orgânico | propolis | Mastite bovina

Resumo

A produção orgânica de leite preconiza o uso de medicamentos a base de fitoterapia e homeopatia para o controle da mastite nos rebanhos, em detrimento da administração de antimicrobianos halopáticos convencionais. No entanto, existem escassas opções de ativos disponíveis para este fim. Considerando que a própolis apresenta ação bactericida e trata-se de composto permitido em sistemas orgânicos de produção leiteira, pesquisadores brasileiros desenvolveram a própolis nanoestruturada, produto promissor para o tratamento intramamário de mastite. Infere-se que a nanoestrutura apresente melhor eficácia antimicrobiana e menor irritabilidade para a glândula mamária, tendo em vista que estudos prévios in vitro, realizados frente a estirpes de referência, apresentaram excelentes resultados. Para a condução dos estudos in vivo, estabeleceu-se importante parceria entre a EMBRAPA Gado de Leite (que fornecerá partidas da nanoestrutura) e a FMVZ-UNESP/Botucatu-SP (que realizará a administração do produto nos animais e conduzirá as avaliações clínicas e laboratoriais). Objetiva-se, portanto, avaliar a inocuidade e a eficácia desta formulação de própolis nanoestruturada, desenvolvida pela EMBRAPA Gado de Leite (Juiz de Fora-MG), no tratamento intramamário de casos de mastite bovina em rebanhos leiteiros orgânicos da região de Botucatu-SP. Caso se comprove a eficácia e inocuidade da formulação patenteada, a mesma poderá ser direcionada para produção em escala industrial/comercial, atendendo especialmente à demanda de sistemas orgânicos de produção leiteira. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)