Busca avançada
Ano de início
Entree

A crítica hegeliana à intuição intelectual e à dedução matemática: pressupostos negativos da justificação da dialética especulativa como método da filosofia

Processo: 12/17763-4
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 03 de dezembro de 2012
Vigência (Término): 02 de junho de 2013
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Filosofia - História da Filosofia
Pesquisador responsável:Marcos Lutz Müller
Beneficiário:Fábio Mascarenhas Nolasco
Supervisor no Exterior: Christoph Asmuth
Instituição-sede: Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Local de pesquisa: Technical University of Berlin (TU), Alemanha  
Vinculado à bolsa:11/13442-6 - A suspensão qualitativa da quantidade: a crítica de Hegel ao paradigma matemático da ciência moderna, BP.DR
Assunto(s):Dialética   Idealismo   Matemática

Resumo

A apresentação deste projeto de pesquisa visa expor o geral a respeito de nosso projeto de doutorado de modo a justificar a necessidade de que parte deste projeto seja desenvolvido na Alemanha. Trata-se, o nosso projeto, de uma tentativa de pesquisa a respeito do conceito hegeliano da dialética especulativa, mas objetivamos abordar tal conceito, qualificado por Hegel como "método da filosofia," a partir da confrontação crítica com duas outras perspectivas metodológicas: a perspectiva dos contemporâneos filosóficos mais próximos de Hegel, Fichte e Schelling, que fazem importante uso do conceito da intuição intelectual para apresentarem sua perspectiva metodológica; e a perspectiva paradigmática das "ciências exatas", ou da "ciência newtoniana," que se baseia, em última análise, na infalibilidade da demonstração matemática para constituição de um método científico universal. A necessidade de que parte desta pesquisa se desenvolva no exterior advém de que, apesar de que os estudos de Hegel já estejam consolidados no Brasil, o mesmo não acontece a respeito das filosofias de Fichte e Schelling, o que nos traz a necessidade de buscar bibliografia atualizada alemã a esse respeito. O mesmo se dá no que diz respeito à crítica de Hegel à matemática, tema pouco explorado na tradição, o que demanda que busquemos nos informar diretamente a respeito da mais nova bibliografia alemã a esse respeito. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)