Busca avançada
Ano de início
Entree

RESPOSTA IMUNE DE TILÁPIAS DO NILO (Oreochromis niloticus) VACINADAS CONTRA Streptococcus agalactiae

Processo: 12/07534-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2012
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Patologia Animal
Pesquisador responsável:Flávio Ruas de Moraes
Beneficiário:Paulo Fernandes Marcusso
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal , SP, Brasil
Assunto(s):Imunopatologia   Inflamação   Tilápia

Resumo

A infecção causada por Streptococcus agalactiae provoca grandes perdas em sistemas de criação intensiva de tilápias no Brasil e uma das soluções para minimizar estas perdas é a utilização de vacinas. Assim, este estudo pretende avaliar a resposta imune celular e humoral de uma vacina contra Streptococcus agalactiae. Para tanto, serão utilizadas 142 tilápias do Nilo, Oreochromis niloticus, com peso médio de 200 ± 25 g. A padronização do inóculo vacinal de S. agalactiae será realizada pela determinação da concentração bacteriana letal para 50,0% dos peixes (CL50) a ser utilizada em estudo prévio para avaliar qual das porções (solúvel ou insolúvel) obtidas do antígeno resultante da sonicação do S. agalactiae, apresentará maior porcentagem relativa se sobrevivência (PRS). Para tanto serão utilizados três grupos (n= 15), onde o grupo 1 (G1) injetado com PBS, grupo 2 (G2) imunizado com a porção solúvel e grupo 3 (G3) imunizado com a porção insolúvel. Depois de 21 dias da imunização os peixes serão desafiados com inóculo de S. agalactiae (CL50). Posteriormente será preparada uma vacina contendo a porção com maior PRS. Para avaliar a reposta imune celular serão utilizados quatro grupos (n=21), sendo G1 não imunizados injetados com salina 0,65%; G2 não imunizado e inoculado com S. aglactiae (CL50); G3 imunizado e injetado com solução salina 0,65% e G4 imunizado e inoculado com S. agalacatiae (CL50). Todas injeções e inoculações serão realizadas na bexiga natatória. As coletas e análises do exsudato inflamatório serão realizadas nos tempos 12, 24 e 48 horas após estímulo, para a contagem total e diferencial das células acumuladas na bexiga natatória. Nas mesmas ocasiões serão coletadas amostras de sangue da veia caudal para avaliação do perfil hematológico. Para avaliar a reposta imune humoral serão utilizados quatro grupos (n=7), sendo G5 não imunizado injetado com PBS 0,65%; G6 não imunizado e inoculado com S. aglactiae (CL50); G7 imunizado e injetado com PBS e G8 imunizado e inoculado com S. agalacatiae (CL50). Os estímulos serão provocados por via intra-celomática (i.c). Em todos os grupos será realizada uma coleta de sangue pré imunização e coletas seriadas pós imunização nos tempos de 7, 14, 21, 28 e 35 dias, para avaliação da resposta imune por meio da aglutinação direta em placa. Os resultados serão comparados através de análise de variância (ANOVA) ao nível de 5% de probabilidade e a diferença entre as médias será comparada pelo teste de Tuckey.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
MARCUSSO, Paulo Fernandes. Resposta imune de tilápias do Nilo (Oreochromis niloticus) vacinadas contra Streptococcus agalactiae. 2014. Dissertação de Mestrado - Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias..

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.

Patente(s) depositada(s) como resultado deste projeto de pesquisa

VACINA PARA PEIXES E USO DA MESMA BR1020140228934 - Universidade Estadual Paulista (UNESP) . Flávio Ruas de Moraes; Paulo Fernandes Marcusso; Rogério Salvador - 16 de setembro de 2014