Busca avançada
Ano de início
Entree

Recursos educacionais abertos: modos de formulação e efeitos

Processo: 12/08946-8
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2012
Vigência (Término): 08 de junho de 2014
Área do conhecimento:Linguística, Letras e Artes - Linguística - Teoria e Análise Lingüística
Pesquisador responsável:Ana Silvia Couto de Abreu
Beneficiário:Iasmyn da Costa Brecciani
Instituição Sede: Centro de Educação e Ciências Humanas (CECH). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):13/20849-0 - Recursos educacionais abertos: qual seu lugar discursivo?, BE.EP.IC
Assunto(s):Análise do discurso   Autoria
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Autoria | conteúdo livre | Discurso | efeitos de sentidos | formulação | Recursos educacionais | Análise de Discurso

Resumo

Em uma perspectiva discursiva, inscrita na filiação teórica da Análise de Discurso que tem como referências Pêcheux (1988, 1994, 2002) e Orlandi (1997, 2000, 2004, 2005), analisaremos os discursos que circulam em repositórios brasileiros com Recursos Educacionais Abertos. Tomamos como corpus desta pesquisa 14 repositórios/projetos brasileiros com recursos educacionais abertos, bem como 06 repositórios/projetos brasileiros que não possuem licenciamento aberto unificado. As questões centrais que nos mobilizam são: quais os princípios que sustentam a criação de recursos educacionais abertos? Os recursos educacionais, disponibilizados nos repositórios que constituem nosso corpus, apresentam uma perspectiva disciplinar ou interdisciplinar e quais as consequências para o processo de construção de saberes? Quais são as áreas de saber com maior número de recursos e quais os efeitos de sentido dessa quantidade? Quais os efeitos da diagramação dos repositórios? Quem são os autores dos recursos e em quais instâncias sociais se inserem? Qual o significado do surgimento dos recursos educacionais abertos para uma política pública brasileira de formação docente? Trataremos os textos-documentos como discursos que são partes de processos discursivos mais abrangentes. Assim, cabe ir além da análise dos dizeres, da formulação presentes nos repositórios; cabe mediante um jogo de paráfrase e polissemia, gerar uma compreensão do que significa elaborar e utilizar um recurso educacional. O trabalho teórico-metodológico terá como categorias centrais: arquivo, acontecimento e metáfora (nos sentidos trazidos por Pêcheux, 1988, 1990 e 1994). (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)