Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação histológica e imuno-histoquímica comparativa do granuloma facial e fibrose angiocêntrica eosinofílica

Processo: 12/06473-5
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2012
Vigência (Término): 31 de março de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Pesquisador responsável:Maria Letícia Cintra
Beneficiário:Mayara de Girolamo Moysés
Instituição Sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Anatomia patológica   Granuloma   Esofagite eosinofílica   Imuno-histoquímica   Técnicas histológicas   Estudo comparativo
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:fibrose angiocêntrica eosinofílica | granuloma facial | imunohistoquimica | patogênese | dermatopatologia

Resumo

O granuloma facial (GF) é uma doença inflamatória benigna incomum da pele, com características clínicas e histológicas distintas. Lesões semelhantes, do ponto de vista clínico e histológico, desenvolvendo-se no trato respiratório superior, são chamadas de fibrose angiocêntrica eosinofílica (FAE). Acredita-se que a FAE representa uma variante mucosa do GF. Outra evidência de relação patogenética entre ambas as doenças é o relato de ocorrência de GF em pacientes com EAF. A principal característica histológica destas entidades é o infiltrado inflamatório nodular, rico em eosinófilos, e a microangeíte de pequenos vasos com fibrose periférica em um padrão típico em casca de cebola. Muito pouco se conhece sobre a sua patogênese. Nós iremos empregar uma bateria de marcadores imuno-histoquímicos, para estudar a subpopulação de células presentes em amostras histológicas de GF e EAF. Também temos em vista determinar se a proporção de células imuno-marcadas poderia ser usada para distinguir as duas condições. Métodos: secções histológicas de 20 casos de GF e 2 casos de FAE serão avaliadas em H&E e em cortes imuno-marcados com anticorpos para CD4, CD8, CD56, CD68, CD20, e FOXP3. A avaliação se fará pela porcentagem de células positivas do total do infiltrado celular. Além disso, células imuno-marcadas pelo CD34, ICAM-1, 1A4, CD1a, granulysina, granzima e perforina serão estudadas estimando-se a proporção média de células marcadas em 5 "hot-spots" em campos de 400x.Ao final deste estudo pretendemos traçar um perfil morfológico e molecular do GF e da FAE nesta amostra. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)