Busca avançada
Ano de início
Entree

Tipagem das linhagens de MRSA por sequenciamento de multilocus (MLST) e tipagem do SCCmec destas linhagens por multiplex-PCR

Processo: 12/00992-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de março de 2012
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Pesquisador responsável:Ilana Lopes Baratella da Cunha Camargo
Beneficiário:Simoni Camila Bogni
Instituição-sede: Instituto de Física de São Carlos (IFSC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:10/02619-0 - Estudo epidemiológico molecular de Staphylococcus aureus resistentes à meticilina (MRSA) isolados no Brasil e estudo da proteína reguladora de resposta GraR, AP.JP
Assunto(s):Staphylococcus aureus   Staphylococcus aureus resistente à Meticilina   Farmacorresistência bacteriana   Tipagem de sequências multilocus   Técnicas de tipagem bacteriana   Epidemiologia molecular

Resumo

MRSA se tornou um dos patógenos mais isolados de infecções nosocomiais e, hoje, representa um desafio para o tratamento devido à sua multirresistência. No Brasil, já houve relato onde 55% dos S. aureus isolados de bacteremia eram MRSA. Em 2005, o Center of Disease for Prevention (CDC) nos Estados Unidos chocou o mundo com os relatos mostrando que MRSA causou mais mortes do que o vírus HIV/AIDS. Portanto, os estudos de vigilância, definindo as linhagens presentes e estudando novos alvos em potencial, bem como a busca por respostas quanto ao mecanismo de resistência são de grande importância na luta contra o S. aureus multirresistente. A técnica de seqüenciamento de multilocus (MLST) é capaz de avaliar a evolução das linhagens através da detecção de mutações em fragmentos de 7 genes housekeeping e o seu resultado pode ser comparado com os resultados de laboratórios do mundo todo através de um banco de dados internacional, pois se baseia nos dados de sequência de nucleotídeos. Pode-se utilizar o programa eBURST para observar a formação de grupamentos de linhagens (clusters) relacionadas evolucionariamente e, com isso, avaliar as características em comum como: presença de fatores de virulência, perfil de resistência, país e data de isolamento, entre outras. Amostras de MRSA isoladas em outras regiões do Brasil já foram tipadas por MLST e verificou-se que há um clone endêmico brasileiro (ST239) que pode ter se disseminando no país. Além disso, os genes mec, responsáveis pela resistência a meticilina estão inseridos em um elemento genético móvel chamado de elementos SCCmec (Staphylococcal cassette chromossome mec) de origem ainda desconhecida cujo tamanho pode variar até 30 kb extra no DNA das linhagens de MRSA. Os SCCmec podem ser incisados do cromossomo pela ação de recombinases chamadas de ccr (cassette chromosome recombinases). O gene mecA está localizado em uma estrutura chamada de complexo mec dentro do SCCmec. Os SCCmec tipicamente dividem 4 características: primeiro, carregam o complexo gênico mec que consistem nos genes mecA, os reguladores e sequências de inserção; segundo, carregam o complexo ccr consistindo nos genes ccr que são responsáveis pela mobilidade do elemento e sequências ao redor; terceiro, eles possuem sequencias repetidas características e sequências complementares invertidas em ambas as extremidades do elemento; e último, eles integram na extremidade 3' da janela aberta de leitura (ORF) X, orfX. Tanto o complexo mec, quanto ccr podem apresentar variações nas suas sequências e a sua tipagem junto com a tipagem do cromossomo se tornou essencial para a definição dos clones de MRSA no mundo todo. Até o momento, são conhecidos cinco tipos de recombinases ccr em MRSA (Tipos 1, 2, 3, 4 e 5), foram descritas quatro classes principais de complexo mec (A, B, C e D) e seis diferentes tipos estruturais de SCCmec (SCCmec allotypes) que são designados I, II, III, IV, V e VI de acordo com o conteúdo das classes de ccr e mec. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)