Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização da produção e atividade de Heat Shock Proteins em osteoblastos e sua relação com estresse mecânico

Processo: 11/18835-6
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2012
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Ortodontia
Pesquisador responsável:Adalberto Luiz Rosa
Beneficiário:Thiago Pompermaier Garlet
Instituição Sede: Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (FORP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Osteoblastos   Técnicas de movimentação dentária   Proteínas de choque térmico
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Heat Shock Proteins | Inflamação asséptica | movimentação ortodontica | osteoblastos | Redemolação óssea | Osteoimunologia e remodelação óssea

Resumo

O tecido ósseo tem a função de sustentar e proteger os demais tecidos do organismo, necessitando de resistência adequada sem peso excessivo. Para atingir a eficiência necessária, dispõe de complexos mecanismos de remodelação e reparação, orquestrados por hormônios e citocinas inter-relacionados com o sistema imune, estudados pelo campo da osteoimunologia. Recentemente tem crescido o estudo de processos de inflamação estéril, sobretudo em fatores denominados DAMPs, e com isso o interesse no envolvimento destes processos na biologia óssea. DAMPs são padrões moleculares associados a dano tecidual, liberados por diferentes células quando acometidas por diferentes tipos de estresse e processos necróticos, capazes de ativar receptores do sistema imune de forma similar a padrões bacterianos. Um dos DAMPs mais estudados, o HMGB1, já teve seus efeitos em células ósseas caracterizados, sugerindo papel desta classe de mediadores nos processos de remodelação óssea. Sugerimos então o estudo de outra classe de mediadores também considerados DAMPs, potencialmente envolvidos no processo: as heat shock proteins. Heat shock proteins são mediadores produzidos por células após estímulos de estresse, tais como choque térmico, alterações de pH, entre outros. Níveis elevados destas proteínas também foram encontrados no fluido gengival de pacientes submetidos a tratamento ortodôntico, sugerindo que estresse mecânico pode também desencadear sua expressão. Além de auxiliar o dobramento de novas proteínas, HSPs são importantes na sobrevida de células após eventos de estresse, e tem sido descritas também como DAMPs quando liberadas ao meio extracelular, atuando de forma similar ao HMGB1. Considerado o exposto, os objetivos deste trabalho são caracterizar a produção e atividade de heat shock proteins em osteoblastos in vitro; e analisar a expressão destas proteínas na movimentação ortodôntica humana e experimental. Desta forma, acreditamos que um conhecimento mais detalhado da produção e atividade de HSP em células ósseas aliado a uma análise do envolvimento destas proteínas na movimentação ortodôntica clínica pode fundamentar as bases teóricas necessárias para elucidar os mecanismos da remodelação óssea dirigida por forças mecânicas.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)