Busca avançada
Ano de início
Entree

Aneurisma Intracraniano Familial: Influência de Variantes Genéticas do Colágeno - Ala459Pro - e sua relação com Hipertensão Arterial e Diabetes Melito

Processo: 11/10819-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de outubro de 2011
Vigência (Término): 30 de setembro de 2012
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Dorotéia Rossi Silva Souza
Beneficiário:Luis Felipe Machado Lauletta
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (FAMERP). Secretaria de Desenvolvimento Econômico (São Paulo - Estado). São José do Rio Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Neurocirurgia   Diabetes mellitus   Hipertensão   Variantes genéticas   Colágeno   Fatores de risco

Resumo

Acidente vascular encefálico hemorrágico (AVEh) ocorre na ruptura de aneurisma intracraniano (AI), ou associado a outras malformações vasculares. O sangramento pode aumentar a pressão intracraniana, com progressão do dano tecidual. Destacam-se fatores de risco ambientais como idade avançada, sexo feminino, tabagismo, etilismo, hipertensão arterial sistêmica e fatores genéticos que desempenham importante papel na formação de AI. O diabetes melito tem papel controverso nesse processo patológico, sendo destacado como fator de risco para AI, por alguns autores, e como fator de proteção ao seu rompimento por outros. Nesse caso, destacam-se genes relacionados com a síntese do colágeno, envolvidos no processo de formação da parede do vaso arterial, como COL1A2, cujos polimorfismos genéticos podem alterar a integridade da parede vascular. Este estudo tem como objetivos analisar a prevalência do polimorfismo Ala459Pro de COL1A2 em indivíduos com AI familial, e seus respectivos familiares em primeiro grau; avaliar a influência de hipertensão arterial e diabetes melito na manifestação de AI, e sua relação com o polimorfismo Ala459Pro de COL1A2. Serão selecionados 400 indivíduos, independente de sexo, grupo étnico e idade, distribuídos em seis grupos. Grupo 1 -40 indivíduos com diagnóstico de AI familial (G1); Grupo 2 - 160 indivíduos familiares em primeiro grau de G1(G2); Grupo 3 - 100 indivíduos sem a doença com resultado negativo para angiografia digital por subtração (G3); Grupo 4 - 100 indivíduos familiares em primeiro grau de G3 (G4). As variantes COL1A2 serão analisadas por reação em cadeia da polimerase (PCR) convencional, gel de agarose e coloração com GelRed. O produto pós-PCR será digerido com a enzima de restrição MspA1I (New England) em 37°C por 16 horas. Em seguida, será corado com Gel Red (Uniscience), separado por eletroforese em gel de agarose 2%, sob corrente constante de 150 V por 45 minutos. O gel será então visualizado em sistema de fotodocumentação para genotipagem dos fragmentos de diferentes pares de base (427, 312, 115).

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)