Busca avançada
Ano de início
Entree

Fator de Crescimento Endotelial Vascular: Polimorfismos Genéticos em Pacientes com Aneurisma Intracraniano Familial e sua Relação com Hipertensão Arterial e Diabetes Mellitus

Processo: 11/12414-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2011
Vigência (Término): 30 de setembro de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Dorotéia Rossi Silva Souza
Beneficiário:Thais de Brito Maluf
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (FAMERP). Secretaria de Desenvolvimento Econômico (São Paulo - Estado). São José do Rio Preto , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):12/15033-9 - Hemodinâmica de aneurisma intracraniano, BE.EP.IC
Assunto(s):Neurocirurgia   Diabetes mellitus   Aneurisma intracraniano   Hipertensão

Resumo

RESUMOAcidente vascular encefálico hemorrágico (AVEh) ocorre na ruptura de aneurisma intracraniano (AI), ou associado a outras malformações vasculares. O sangramento pode causar lesão traumática ao tecido e edema ao redor da hemorragia, aumentando a pressão intracraniana, com progressão do dano tecidual. Nesse contexto, destacam-se fatores de risco ambientais como idade avançada, sexo feminino, tabagismo, etilismo, hipertensão arterial sistêmica, além de fatores genéticos que desempenham importante papel na formação desse tipo de aneurisma. Dessa forma, destaca-se o gene VEGF (fator de crescimento endotelial vascular), relacionado a angiogênese, que pode estar envolvido no processo de formação de novos vasos. Variantes de VEGF podem alterar a estrutura primária dessa glicoproteína, modificando sua expressão e atividade. Este estudo tem como objetivos analisar a distribuição do polimorfismo C936T de VEGF em indivíduos com AI familial e diabetes mellitus e/ou hipertensão arterial e seus familiares em primeiro grau e avaliar a associação do referido polimorfismo com hábito etilista e tabagista. Serão selecionados 400 indivíduos, independente de sexo, grupo étnico e idade, distribuídos em quatro grupos. Grupo 1 - 40 indivíduos com diagnóstico de AI familial; Grupo 2 - 160 indivíduos familiares em primeiro grau de G1; Grupo 3 - 100 indivíduos sem a doença, com resultado negativo para angiografia digital por subtração; Grupo 4 - 100 indivíduos familiares em primeiro grau de G3. As variantes para VEGF serão analisadas por reação em cadeia da polimerase (PCR) convencional, gel de agarose 2,5% e coloração GelRed. O produto pós-PCR será submetido à RFLP (restriction fragment length polymorphism) com a enzima de restrição NlaIII. A análise estatística compreenderá teste exato de Fisher, teste t e regressão multivariada, com nível de significância para valor P<0,05.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)