Busca avançada
Ano de início
Entree

Investigação das alterações hipotalâmicas e periféricas relacionadas ao metabolismo causadas pelo exercício intenso e exaustivo em camundongos

Processo: 10/14311-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2011
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Deborah Suchecki
Beneficiário:Danilo Alves de Moraes
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Neuroendocrinologia   Hipotálamo   Comportamento alimentar   Exercício físico   Metabolismo

Resumo

A ingestão alimentar é um comportamento complexo, controlado por diversos mecanismos regulatórios, incluindo fatores metabólicos, autonômicos, endócrinos e ambientais, todos estes integrados pelo hipotálamo, que contém neurônios que sintetizam tanto neuropeptídeos orexígenos (neuropeptídeo Y e orexina) quanto anorexígenos (hormônio liberador de corticotropina e pro-ópio-melanocortina). Estes neuropeptídeos, por sua vez, são regulados, em parte, por hormônios periféricos, como por exemplo, a insulina, a leptina e a GHrelina. Além disso, a síntese e regulação desses neuropeptídeos e hormônios estão sob o controle e/ou modulação do eixo hipotálamo-hipófise-adrenal, que por sua vez é sensível ao estresse. O exercício físico, apesar de estar sempre associado com a saúde, boa forma e qualidade de vida, é responsável por provocar estresse físico e/ou emocional, estimulando o hipotálamo a liberar CRH que, via ACTH, promove a liberação de glicocorticóides pelo córtex da glândula adrenal. Essa resposta dos glicocorticóides depende de diversos fatores, como a intensidade do exercício, vias metabólicas (anaeróbio ou aeróbio), pré-condicionamento físico e procedimentos nutricionais prévios; porém, independente de qualquer um desses fatores, o exercício sempre promove ativação do eixo HPA e aumento dos glicocorticóides. Já o exercício intenso e exaustivo está geralmente associado com fadiga. No entanto, pouco se sabe sobre seus efeitos a curto prazo no controle do peso corporal e do comportamento alimentar e na remodelação da composição corporal. Um estudo recente mostrou que camundongos submetidos a esse tipo de exercício apresentaram mudanças na composição corporal, aumento das concentrações plasmáticas de corticosterona, hipertrofia das glândulas adrenais e do timo. Entretanto, apesar da mudança na composição corporal, não foram observadas alterações no peso desses animais. Esses achados sugerem que as alterações no eixo HPA, promovidas pelo exercício intenso e exaustivo, possam estar relacionadas com a composição corporal e o peso, incluindo o comportamento alimentar. Dessa forma, o objetivo do presente estudo é analisar o balanço entre neuropeptídeos orexígenos e anorexígenos e seus efeitos no comportamento alimentar, no peso e na composição corporal de camundongos, após o estresse do exercício intenso e exaustivo. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MORAES, DANILO ALVES; VENANCIO, DANIEL PAULINO; SUCHECKI, DEBORAH. Sleep deprivation alters energy homeostasis through non-compensatory alterations in hypothalamic insulin receptors in Wistar rats. Hormones and Behavior, v. 66, n. 5, p. 705-712, . (10/14311-0, 12/23488-6, 11/50691-4)

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.