Busca avançada
Ano de início
Entree

Comparação de métodos de identificação e perfil de sensibilidade aos antimicrobianos em Staphylococcus spp. isolados de pacientes com infecção do trato urinário (ITU)

Processo: 10/16066-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de outubro de 2010
Vigência (Término): 31 de julho de 2011
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Biologia e Fisiologia dos Microorganismos
Pesquisador responsável:Maria de Lourdes Ribeiro de Souza da Cunha
Beneficiário:Lígia Maria Abraão
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:09/10083-5 - Comparação de métodos de identificação e perfil de sensibilidade aos antimicrobianos em Staphylococcus spp. isolados de pacientes com infecção do trato urinário (ITU), AP.R
Assunto(s):Infecções urinárias   Staphylococcus aureus   Resistência microbiana a medicamentos   Anti-infecciosos

Resumo

A infecção do trato urinário (ITU) é uma das afecções mais comuns da clínica médica, figurando como a segunda infecção mais comum no ser humano, sendo apenas menos frequente que as do trato respiratório. Staphylococcus saprophyticus é o segundo mais frequente agente de ITU aguda depois de E. coli, sendo frequentemente isolado de urina de mulheres jovens sexualmente ativas, apresentando sintomas indistinguíveis dos causados por Escherichia coli, existindo também relatos de septicemia e pielonefrite por este microrganismo. Em vários laboratórios clínicos de rotina a identificação presuntiva de S. saprophyticus é baseada somente na resistência à novobiocina. Entretanto tem sido reconhecido que outras espécies de estafilococos coagulase-negativa (ECN), incluindo S. hominis subsp. novobiosepticus, S. cohnii, S. sciuri e S. xylosus, são também resistentes à novobiocina. O tratamento de infecções causadas por estafilococos depende da resistência a meticilina mediada pelo gene mecA e frequentemente expressa em níveis mais baixos do que em S. aureus, dificultando ainda mais a detecção e a inconsistência de resultados que pode implicar em uma terapia inadequada e dificuldade de tratamento. Portanto a identificação de Staphylococcus spp. e a detecção de resistência à oxacilina mediada pelo gene mecA continua sendo um dos maiores problemas enfrentados pelos laboratórios de microbiologia clínica, necessitando de uma identificação e detecção rápida, confiável e de baixo custo. Este estudo tem como objetivos principais comparar diferentes métodos de identificação de Staphylococcus spp. isolados de pacientes com infecção do trato urinário e identificar o perfil de resistência aos antimicrobianos em amostras comunitárias e hospitalares. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)