Busca avançada
Ano de início
Entree

Associação de Variantes Genéticas para eNOS, ELN,COL1A2 em Aneurisma Intracraniano Familial

Processo: 10/02150-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de março de 2010
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2010
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Pesquisador responsável:Dorotéia Rossi Silva Souza
Beneficiário:Greiciane Maria da Silva Florim
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (FAMERP). Secretaria de Desenvolvimento Econômico (São Paulo - Estado). São José do Rio Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:08/55478-4 - Associacao de variantes geneticas para enos, eln e col1a2 em aneurisma intracraniano familial., AP.R
Assunto(s):Neurocirurgia   Polimorfismo genético   Elastina   Colágeno

Resumo

Acidente vascular encefálico hemorrágico (AVEh) ocorre quando um aneurisma intracraniano (AI) ou outra má formação vascular se rompe e o sangramento pode causar uma lesão traumática ao tecido e edema ao redor da hemorragia, aumentando a pressão intracraniana, progredindo para lesão tecidual. Nesse contexto, destacam-se fatores de risco ambientais como idade avançada, sexo feminino, tabagismo, etilismo, hipertensão arterial sistêmica, além de fatores genéticos que desempenham importante papel na formação desses aneurismas. Dessa forma, destacam-se genes envolvidos no processo de formação da parede do vaso arterial, como a enzima óxido nítrico síntase endotelial (eNOS) que possui ação vasodilatadora, e inibe a produção do fator endotelial determinante na formação de trombos, além de COL1A2 e ELN que atuam na integridade da parede arterial progredindo para formação do aneurisma. Variantes desses genes podem alterar a estrutura primária da eNOS, COL1A2 e ELN modificando sua expressão e atividade. Este estudo tem como objetivos avaliar a influência do polimorfismo G894T de eNOS, Ala459Pro de COL1A2 e A442G de ELN em indivíduos portadores de aneurisma intracraniano familial; analisar a distribuição dos polimorfismos G894T de eNOS, A442G de ELN e Ala459Pro de COL1A2 entre familiares de primeiro grau de indivíduos com aneurisma intracraniano; avaliar a razão de chance para aneurisma intracraniano em portadores dos polimorfismos G894T de eNOS, A442G de ELN e Ala459Pro de COL1A2. Serão selecionados 325 indivíduos, independente de sexo, grupo étnico e idade, distribuídos em seis grupos. Grupo 1 - 05 indivíduos com diagnóstico de aneurisma intracraniano familial (G1); Grupo 2 - 20 indivíduos familiares em primeiro grau de G1, com pelo menos um membro afetado com a doença (G2); Grupo 3 - 50 indivíduos com diagnóstico de aneurisma intracraniano esporádico (G3); Grupo 4 - 100 indivíduos familiares em primeiro grau de G3; Grupo 5 - 50 indivíduos sem a doença com resultado negativo para angiografia digital por subtração; Grupo 6 - 100 indivíduos familiares em primeiro grau de G5. As variantes para eNOS, ELN e COL1A2 serão analisadas por reação em cadeia da polimerase (PCR) convencional, gel de agarose e coloração com brometo de etídeo. O produto pós-PCR de eNOS, COL1A2 e ELN serão submetidos à RFLP (restriction fragment length polymorphism) com a enzima de restrição Ban II, Msp I e BstN I (Fermentas), respectivamente. A análise estatística compreenderá teste exato de Fisher, t Student e regressão multivariada com nível de significância P<0,05.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)