Busca avançada
Ano de início
Entree

Onde há mais estresse: cativeiro ou vida livre? Níveis de corticóides urofecais em papagaio-verdadeiro (Amazona aestiva) sob diferentes sistemas de manejo

Processo: 10/20412-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2011
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2011
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia Comparada
Pesquisador responsável:José Maurício Barbanti Duarte
Beneficiário:Alan Chesna Vidal
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal , SP, Brasil
Assunto(s):Psittacidae   Estresse em animal   Animais de cativeiro

Resumo

O Brasil é o país com a maior diversidade de espécies de psitacídeos do mundo, possuindo também um dos maiores índices de psitacídeos ameaçados de extinção. A pressão pela retirada de filhotes da natureza é uma das principais responsáveis por esta ameaça e também pela grande quantidade de aves em cativeiro, sejam em zoológicos, em criadores conservacionistas ou comerciais, ou mantidas como mascote. Dentre todos, o papagaio-verdadeiro (Amazona aestiva) é um dos mais populares e, apesar disso, é considerada pela IUCN como de "menor preocupação", devido à ampla distribuição geográfica e enorme população em cativeiro. Este trabalho tem como intuito avaliar em qual ambiente esta espécie esta sob efeito maior de estresse, através da comparação dos níveis de corticosterona, entre aves de vida livre e aves de vida cativa, podendo assim ampliar os conhecimentos sobre os aspectos biológicos e comportamentais da espécie, melhorando seu manejo, visando sempre o bem-estar. Para isso, este estudo utilizará de monitoramento endócrino não-invasivo de corticóides urofecais. Serão colhidas 20 excretas urofecais de cada grupo a ser comparado: aves de vida livre do Pantanal; aves cativas em zoológico; aves cativas em criadouro comercial; e aves mantidas como animais de estimação. As excretas serão todas colhidas frescas, durante a mesma faixa de horário, e armazenadas a -20ºC até o processamento. Os metabólitos das excretas serão extraídos e os hormônios dosados através de ensaio imunoenzimático no laboratório de dosagem hormonal do NUPECCE/ Unesp Jaboticabal. Os resultados serão comparados através da análise de variância de medidas repetidas e assim pretendemos conhecer o ambiente menos estressante para esta espécie. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
VIDAL, ALAN CHESNA; ROLDAN, MAR; CHRISTOFOLETTI, MAURICIO DURANTE; TANAKA, YUKI; GALINDO, DAVID JAVIER; BARBANTI DUARTE, JOSE MAURICIO. Stress in captive Blue-fronted parrots (Amazona aestiva): the animalists' tale. CONSERVATION PHYSIOLOGY, v. 7, DEC 8 2019. Citações Web of Science: 1.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.