Busca avançada
Ano de início
Entree

Comparação das influências do sorbitol, stévia e sucralose sobre a distribuição intragástrica e o esvaziamento gástrico, sobre a liberação de incretinas e o balanço da glicose em voluntários assintomáticos

Processo: 10/06241-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2010
Vigência (Término): 31 de outubro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Ricardo Brandt de Oliveira
Beneficiário:Ricardo Motta Pereira
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Cintilografia   Edulcorante   Esvaziamento gástrico   Incretinas

Resumo

Diversas substâncias adoçantes são utilizadas para controlar o peso corporal e/ou situações onde o consumo de açúcares naturais não está indicado. Dado o aumento mundial na prevalência da obesidade e diabetes mellitus, se faz importante estudar as implicações do uso de adoçantes sobre a motilidade e o trânsito no trato gastrintestinal, bem como o balanço da glicose e a liberação de incretinas. Objetivo: Estudar a influência dos adoçantes, sorbitol, stévia e sucralose sobre a distribuição intragástrica de refeições (DIR), esvaziamento gástrico (EG), liberação de insulina, peptídeo semelhante ao glucagon 1 (GLP-1), polipeptídeo inibidor gástrico (GIP) e glicemia em indivíduos saudáveis, e compará-los aos obtidos com a sacarose. Material e Métodos: 10 voluntários, assintomáticos, deverão ingerir quatro diferentes tipos refeições teste, uma por dia, de mesmo volume, doçura e osmolaridade preparadas com sorbitol, stévia, sucralose e sacarose (refeição controle). Amostras de sangue serão retiradas da veia braquial antes da ingestão de cada refeição (t = -5 mim), e nos períodos t = 0, 5, 15, 30, 60, 90, 120, 150 e 180 minutos, onde será mensurada a glicemia (com glicosímetro), o GLP-1 e insulina pela técnica de radioimunoensaio, e o GIP pelo método de ELISA. Para o estudo da DIR e do EG, todas as refeições serão marcadas com o radioisótopo tecnécio 99 (99mTc) ligado ao fitato, um carreador inabsorvível. Os sinais serão adquiridos por meio da cintolografia abdominal externa, durante 90 minutos, digitalizados e analisados em ambiente MatLab. A DIR será obtida ao se analisar a porcentagem de refeição acumulada na porção proximal do estômago, enquanto que o EG será calculado com base no tempo (minutos) decorrido entre a ingestão e o momento em que a radioatividade no estômago se reduz a metade do valor inicial.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)