Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito de gangliosídeos na modulação da expressão de fatores de regeneração de células beta pancreáticas de camundongos NOD (non-obese diabetic)

Processo: 10/04108-2
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2010
Vigência (Término): 30 de abril de 2012
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Ricardo de Lima Zollner
Beneficiário:Luís Guilherme Stivanin Silva
Instituição Sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Autoimunidade   Gangliosídeos   Imunomodulação   Diabetes mellitus tipo 1
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Autoimunidade | Diabetes autoimune | Gangliosídeos | Imunomodulação | Regeneração celular | Imunologia

Resumo

O camundongo não obeso diabético (NOD) é caracterizado por desenvolver naturalmente diabetes mellitus tipo 1 (DM-1) com marcante similaridade ao diabetes mellitus tipo 1 em humanos. Este modelo animal fornece notável instrumento para a investigação dos mecanismos inflamatórios e do complexo genético que controla a manifestação do diabetes. O DM-1 é resultado da destruição das células b pancreáticas produtoras de insulina coordenada por linfócitos T, citocinas e apoptose responsável pelo processo infiltrativo e inflamatório das ilhotas pancreáticas e sua conseqüente destruição. Resultados prévios de nosso grupo mostram a ação moduladora de gangliosídeos em modelo experimental de DM-1 e Encefalite Experimental Auto-imune. Contudo, os mecanismos pelos quais essas substâncias exercem tal função não estão elucidados. Um dos quais se refere a mecanismos de regeneração celular observado em tecido nervoso e que estimula hipótese de similaridade de efeito na ilhota pancreática. Assim, é possível que gangliosidios, além de controlar o processo inflamatório, possam estimular fatores de regeneração celular na ilhota contribuindo para sua manutenção sendo um dos fatores relevantes para a homeostasia na ilhota. Desta forma, o entendimento dos mecanismos mais precisos de ação dos gangliosídeos na modulação inflamatória e efeitos adicionais relacionados a processo de regeneração celular pode abrir novas perspectivas para sua utilização em estratégias terapêuticas que visem a modulação da resposta imune no diabetes com objetivos de controlar a expressão dos mecanismos efetores que levam a destruição das células b das ilhotas pancreáticas. Para tanto empregando modelo animal de desenvolvimento espontâneo de diabetes tipo 1 trataremos camundongo NOD com gangliosidio GM1 da 4ª a 30ª semana de vida e procederemos a analise da freqüência da manifestação do diabetes e expressão de fatores de regeneração de celular. Desta forma, nossa expectativa é subsidiar elementos adicionais no controle do processo inflamatório do diabetes auto-imune e fatores que contribuam no processo de regeneração da células beta da ilhota pancreática (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
SILVA, Luís Guilherme Stivanin. Modulação da expressão de fatores de regeneração/crescimento de ilhotas pancreáticas e tecido acinar pancreático em camundongos NOD (non-obese diabetic) tratados com gangliosídeos. 2012. Dissertação de Mestrado - Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Faculdade de Ciências Médicas Campinas, SP.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas utilizando este formulário.