Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência do gene APE1/REF-1 nas respostas celulares das linhagens de glioblastoma após tratamento com o quimioterápico temozolomida

Processo: 09/10106-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2009
Vigência (Término): 30 de abril de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Mutagênese
Pesquisador responsável:Elza Tiemi Sakamoto Hojo
Beneficiário:Ana Paula de Lima Montaldi
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Reparo do DNA   Temozolomida   Morte celular   Glioblastoma   Fatores de transcrição

Resumo

Glioblastoma multiforme (GBM) é uma doença devastadora, que responde por 69% de todos os tumores malignos primários do sistema nervoso. Apesar do uso da cirurgia, quimioterapia e radioterapia, a média de sobrevida desses pacientes é geralmente menor do que um ano após o diagnóstico. A quimioterapia baseada em agentes alquilantes, como a temozolomida (TMZ), tem mostrado uma modesta resposta e pequeno aumento da sobrevida, no entanto, a metade dos pacientes não responde a esta droga. Uma nova estratégia emergente para sensibilizar células tumorais a agentes causadores de dano no DNA (quimioterápicos e radiações) é a inibição de proteínas de reparo do DNA. Apurinic endonuclease 1/ Redox factor -1 (APE1/REF-1) é uma enzima que tem despertado interesse, cuja expressão encontra-se aumentada em vários tipos de câncer, incluindo gliomas. Nesses, a elevação da atividade de APE1 foi relatada como um marcador da tumorigênese glial. Além de apresentar atividade de reparo do DNA, participando do reparo por excisão de base (BER), APE1 também atua como fator de redução, mantendo fatores de transcrição (FTs) em um estado ativo reduzido. Esse gene estimula a atividade de ligação ao DNA de uma variedade de FTs que estão envolvidos na promoção e progressão do câncer, tais como AP-1 (FOS/JUN), NFºB, HIF-1±, CREB, HLF, TP53, além de outros. O uso de inibidores da atividade redutora e de reparo de APE1 tem sido implicado como um importante aspecto no câncer. Portanto, a proposta desse estudo é utilizar a estratégia de inibição da transcrição do gene APE1 e tratamento das células de GBM com a droga TMZ (temozolomida) para analisar a influência desse gene na expressão transcricional e protéica de seus FTs alvos da sua atividade redutora, bem como sobre as respostas celulares avaliadas por vários ensaios: sobrevivência celular e clonogênica, apoptose, ensaio Cometa, cinética do ciclo celular e análise de migração/invasão. Uma vez que poucos resultados de estudos envolvendo células de GBM foram efetivamente aplicados à prática clínica, torna-se relevante a caracterização de moléculas alvo que atuam nas vias de resposta a drogas, o que poderá contribuir para a formulação de novas estratégias terapêuticas que sejam mais eficazes e que possam de alguma forma minimizar o problema da resistência aos agentes antitumorais.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MONTALDI, ANA P.; SAKAMOTO-HOJO, ELZA T. Methoxyamine sensitizes the resistant glioblastoma T98G cell line to the alkylating agent temozolomide. CLINICAL AND EXPERIMENTAL MEDICINE, v. 13, n. 4, p. 279-288, NOV 2013. Citações Web of Science: 13.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.