Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência da temperatura no comportamento defensivo em Tomodon dorsatus (serpente, Colubridae)

Processo: 09/04133-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2009
Vigência (Término): 31 de outubro de 2010
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia Geral
Pesquisador responsável:Carlos Arturo Navas Iannini
Beneficiário:Jessyca Michele Citadini
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Ecofisiologia   Ecofisiologia animal   Comportamento defensivo animal   Predação   Serpentes

Resumo

Os vertebrados tetrápodes e ectotérmicos, possuem a temperatura do corpo variável de acordo com a temperatura do ambiente. Estudos abordando lagartos e serpentes demonstram que diversos comportamentos ou funções dos vertebrados ectotérmicos sofrem direta ou indiretamente influência da temperatura na adequação biológica (fitness)(Bartholomew, 1982; Huey, 1982; Lillywhite, 1987, Mori & Burghardt, 2001). O comportamento anti-predatório constitui um caso especial dos comportamentos sabidamente influenciados pela temperatura, pois parece sofrer diversos tipos de alterações em diferentes grupos de tetrápodes ectotérmicos, como lagartos (Rand, 1964; Hertz et al., 1982; Crowley & Pietruszka, 1983), anfíbios anuros (Gomes et al., 2002), salamandras(Brodie Jr. et al., 1991) e serpentes (Fitch, 1965; Herckrotte,1967;Arnold e Bennett, 1984; Schieffelin & Queiroz, 1991; Keogh & DeSerto,1994; Mori e Burghardt, 2001). Esses estudos mostram que a temperatura afeta as repostas comportamentais tanto em termos de magnitude quanto de qualidade, o que permite supor que as mudanças no tipo de comportamento com a temperatura sejam consistentes com os efeitos*da temperatura sobre o desempenho comportamental. Deste ponto de vista, animais mais frios, e por tanto com menor velocidade, prefeririam respostas defensivas baseadas em agressividade ou na passividade, sendo o segundo caso esperado em espécies menos capazes de causar dano. Esta hipótese é o foco do presente trabalho, e será testada mediante uma análise do comportamento da serpente Tomodon dorsatus (Colubridae) em diferentes temperaturas corpóreas, quando exposta a um estímulo externo simulando um ataque predatório. Esta espécie foi escolhida por apresentar um rico repertório defensivo (Bizerra, 1998). Espera-se que animais com temperaturas corpóreas mais elevadas apresentem uma velocidade de locomoção e de bote maior quando comparados com animais mais frios, e que respostas agressivas ou passivas aumentem ao diminuir a temperatura. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
CITADINI, JESSYCA MICHELE; NAVAS, CARLOS ARTURO. Inter-individual variation and temperature-dependent antipredator behavior in the snake Tomodon dorsatus (Dipsadidae). Behavioural Processes, v. 97, p. 11-17, JUL 2013. Citações Web of Science: 6.
Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
CITADINI, Jessyca Michele. A influência da temperatura no comportamento defensivo em Tomodon dorsatus (Serpente, Dipsadidae). 2011. Dissertação de Mestrado - Universidade de São Paulo (USP). Instituto de Biociências São Paulo.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.