Busca avançada
Ano de início
Entree

Habitacao e novas configuracoes urbanas estado e movimentos populares.

Processo: 07/03706-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2007
Vigência (Término): 30 de setembro de 2010
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Arquitetura e Urbanismo - Fundamentos de Arquitetura e Urbanismo
Pesquisador responsável:Cibele Saliba Rizek
Beneficiário:Olivia de Campos Maia Pereira
Instituição-sede: Escola de Engenharia de São Carlos (EESC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Habitação social   Política habitacional   Movimentos sociais   Sociologia urbana   Planejamento territorial urbano

Resumo

Este projeto pretende analisar os desdobramentos das atuais relações entre Estado e movimentos populares de luta por moradia na produção de habitação popular na cidade de São Paulo. Para tanto, buscar-se-á identificar e compreender modificações nas formas de inserção urbana, configuradas por meio dessa produção e seus contextos urbanos; gerados por meio dessas relações. Relações estas, que têm por hipótese, características novas, tais como transformações dos movimentos populares, de suas reivindicações e de sua recepção pelo Estado; à medida que canais de participação foram se ampliando e se institucionalizando; da década de 1980 até hoje. Para detectar essas características a análise partirá dos exemplos mais significativos (de relações entre movimentos populares de luta por moradia e Estado e seus desdobramentos na produção de habitação social na cidade de São Paulo) das décadas de 1980 e 1990, respectivamente o período de lutas pela redemocratização e posteriormente o de institucionalização dos movimentos sociais. Além das análises históricas a serem realizadas sobre o período de estudos, serão escolhidos dois movimentos populares de luta por moradia da cidade de São Paulo, ambos com trajetória de atuação enraizada nas lutas da década de 1980. Um deles deverá ter forte atuação no centro (MTST; Movimento dos Trabalhadores Sem Teto ou MMC; Movimento de Moradia do Centro, por exemplo) e outro deverá ser da Zona Leste (UMM; União dos Movimentos de Moradia). Ambos os Movimentos deverão ser escolhidos em função de suas trajetórias de lutas e conquistas, inclusive em âmbito nacional. A opção pelo estudo de dois Movimentos se deu para que se ampliasse o espectro de análises das relações que propõe este projeto, a partir da escolha de Movimentos que apresentem formas diversas de organização e apropriação do espaço urbano. Para cada um desses dois Movimentos deverão ser selecionados até dois estudos de caso, abragendo o período histórico supracitado (décadas de 1980; dias atuais). Observe-se que, os espaços de habitação a serem analisados não necessariamente precisam ter sido gerados diretamente por políticas habitacionais (como por exemplo, ocupações de terra realizadas por Movimentos e posteriormente regularizadas pelo Estado), mas devem refletir as relações entre Estado e Movimentos.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
. Lutas urbanas por moradia: o centro de São Paulo. 2012. Tese de Doutorado - Universidade de São Paulo (USP). Escola de Engenharia de São Carlos (EESC/SBD) São Carlos.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.