Busca avançada
Ano de início
Entree

Uranografia ou a descrição do céu de adriaan van roomen

Resumo

Na Europa Ocidental, durante a Idade Média, a astronomia era estudada como uma das disciplinas do quadrivium, parte das artes liberais em que se abordava o conjunto das ditas "matemáticas". No Renascimento, a astronomia continuou fazendo parte das "disciplinas matemáticas". Adriaan van Roomen (1561-1615), um estudioso belga que teve imenso interesse por elas, escreveu alguns trabalhos de astronomia, dentre os quais a sua Ouranographia sive Caeli Descriptio (Uranografia ou a Descrição do Céu) de 1591. Essa obra de van Roomen é constituída de três livros: no liber primus, o autor descreve genericamente a organização celeste, sua matéria e forma, seus movimentos e orbes; o liber secundus e o liber tertius são dedicados a uma descrição das linhas e círculos celestes do primeiro céu e do primeiro móvel, respectivamente. O autor mostra que a uranografia, como parte da astronomia, possui estreitas relações com diversas áreas do conhecimento como as matemáticas e a filosofia. Neste trabalho, apresentamos a primeira tradução da Ouranographia direta do latim para o português acrescida de capítulos introdutórios, notas e comentários. A obra aqui apresentada demonstra a erudição de van Roomen no que diz respeito ao conhecimento astronômico da Antiguidade, da Idade Média e de seu tempo. Além disso, num livro que ainda adere ao geocentrismo, é notável como ele não deixa de mostrar alguns dos debates acerca do heliocentrismo e as dificuldades de ordenar os orbes celestes. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)