Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo de marcadores precoces de lesão renal em diabéticos tipo 2

Processo: 14/04596-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de novembro de 2014 - 31 de outubro de 2015
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Fernando Luiz Affonso Fonseca
Beneficiário:Fernando Luiz Affonso Fonseca
Instituição-sede: Faculdade de Medicina do ABC (FMABC). Organização Social de Saúde. Fundação do ABC. Santo André , SP, Brasil
Pesq. associados: Marcelo Rodrigues Bacci
Assunto(s):Nefrologia  Diabetes mellitus tipo 2  Nefropatias diabéticas  Insuficiência renal  Biomarcadores 

Resumo

A insuficiência renal crônica é doença prevalente no mundo e especialmente no Brasil em decorrência do alto índice de diabéticos na população. Desta forma , medidas que possibilitem a prevenção do diabetes e da doença renal crônica bem como seu diagnóstico de maneira precoce possuem grande importância como promoção de saúde.O diagnóstico da doença renal crônica se baseia em parâmetros bioquímicos e radiológicos. A KDIGO definiu como doença renal crônica a alteração persistente da taxa de filtração glomerular (TFG) por pelo menos 3 meses de duração ou havendo a alteração já da ecotextura renal vista em exame de imagem. Uma das maneiras de se estimar a função renal é através do uso de fórmulas que estimam o ritmo de filtração glomerular utilizando dados demográficos como sexo , etnia e idade e bioquímicos como o valor sérico da creatinina.A fórmula mais utilizada e aceita como fidedigna para estimativa da TFG é a Modification of Diet of Renal Disease (MDRD). A nefropatia diabética caracteriza-se por um estado de inflamação glomerular aliado à hiperglicemia, redução dos fatores de proteção anti-oxidantes e aumento do fluxo sanguíneo renal em decorrência do estímulo do sistema renina angiotensina e aldosterona.O marcador de alteração renal traduz-se pela presença de albuminúria em exame de urina de 24 horas ou em amostra isolada de urina. A fração albuminúria/creatinina configura-se como marcador de pior prognóstico renal e cardiovascular.O controle glicêmico é fator de suma importância na evolução e controle da nefropatia diabética seja pelo estímulo persistente inflamatório seja pela deposição de produtos finais da glicosilação no tecido conjuntivo (AGE). A hemoglobina glicosilada é fator confiável de controle glicêmico no período de vida da hemácia e portanto de 3 a 4 meses antes do momento de sua coleta. Seu resultado , contudo , pode ser afetado por alterações no valor isolado da hemoglobina como anemias e hemoglobinopatias. A fração A1c é a fração da hemoglobina mais confiável e fidedigna e capaz de sofrer menor influência da variação de sua concentração.O propósito do trabalho portanto é o de estudar, levando-se em consideração a fração de hemoglobina glicosilada que o paciente com diabetes tipo 2 possui, a presença de alteração da função renal através de marcadores proteicos como a proteína beta traço, beta 2 microglobulina, lipocalina neutrofílica associada à gelatinase ( NGAL), cistatina C na urina comparando com a quantidade de albuminúria. No soro iremos comparar os valores de citocinas pró-inflamatórias como a interleucina 6, fator de necrose tumoral (TNF),fator de crescimento de fibroblasto 23 e os parâmetros clássicos como a creatinina e a ureia.Os pacientes serão divididos em 3 grupos de acordo com a faixa de hemoglobina glicada ( > 7% ; 7-9 % e > 9%) e colherão a amostra de sangue e urina para a avaliação dos parâmetros bioquímicos. Serão incluídos pacientes com diabetes tipo 2 com pelo menos 5 anos de diagnóstico e excluídos pacientes em hemodiálise , com doença renal crônica estabelecida de acordo com os critérios da KDIGO, infecção até 30 dias da entrevista, portadores de hemoglobinopatias e causa de lesão renal que não o diabetes. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
BACCI, MARCELO RODRIGUES; AGUIAR ALVES, BEATRIZ DA COSTA; CAVALLARI, MARINA ROMERA; AZZALIS, LIGIA AJAIME; DE ROZIER-ALVES, ROSS MARTIN; PEREZ, MATHEUS MOREIRA; CHEHTER, ETHEL ZIMBERG; PEREIRA, EDIMAR CRISTIANO; AFFONSO FONSECA, FERNANDO LUIZ. Urinary beta-trace protein gene expression analysis in type 2 diabetes mellitus patients. Einstein (São Paulo), v. 15, n. 4, p. 441-444, . (14/04596-8)
BACCI, MARCELO R.; CHEHTER, ETHEL Z.; AZZALIS, LIGIA A.; DE AGUIAR ALVES, BEATRIZ COSTA; FONSECA, FERNANDO L. A.. Serum NGAL and Cystatin C Comparison With Urinary Albumin-to-Creatinine Ratio and Inflammatory Biomarkers as Early Predictors of Renal Dysfunction in Patients With Type 2 Diabetes. KIDNEY INTERNATIONAL REPORTS, v. 2, n. 2, p. 152-158, . (14/04596-8)
RODRIGUES, KELLY B.; FONSECA, FERNANDO L. A.; FERNANDES, JULIO C. B.. A Potentiometric Sensor Based on a Copper(II) Ion Composite for Vitamin C Determination in Urine. JOURNAL OF ANALYTICAL CHEMISTRY, v. 75, n. 8, p. 1086-1093, . (07/55627-7, 14/04596-8)

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.