Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da privação de sono sobre o desenvolvimento de metástases em um modelo de melanoma murino

Processo: 13/22963-5
Modalidade de apoio:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2014 - 30 de junho de 2016
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia Geral
Pesquisador responsável:Beatriz Duarte Palma Xylaras
Beneficiário:Beatriz Duarte Palma Xylaras
Instituição Sede: Campus Ipiranga. Centro Universitário São Camilo (CUSP). União Social Camiliana (USC). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Privação de sono  Melanoma  Resposta imune  Sistema hipófise-suprarrenal  Glucocorticoides 
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Camundongo C57BL | estresse | melanoma | privação de sono | resposta imunológica tumoral | Sono | 6 | Neuroimunologia

Resumo

Uma das funções do sono é a de manutenção da atividade do sistema imunológico. Além disso, a privação de sono (PS) como distúrbios de sono estão associados ao prejuízo da atividade imunológica. A PS é considerada um fator estressante, pois induz aumento das concentrações de glicocorticóides (GC) por meio da ativação do eixo hipotálamo-hipófise-adrenal (HPA), o que pode levar a uma série de distúrbios resultantes da secreção prolongada e/ou aumentada desses hormônios. Uma vez que o estresse está associado a redução funcional de células T citotóxicas e células NK, processos como a vigilância imunológica contra tumores podem estar afetados. Dessa maneira, a ativação persistente do eixo HPA em resposta ao estresse, pode contribuir para o desenvolvimento e progressão de alguns tipos de tumor. Sendo assim, o presente estudo tem o objetivo de avaliar os efeitos da PS na implantação e na progressão tumoral, em um modelo de melanoma murino. O projeto é dividido em 4 linhas de investigação que focalizarão mais de perto: as variações nas populações imunológicas, tanto esplênicas quanto as infiltrantes do tumor; a formação das metástases e das populações imunológicas esplênicas e infiltrantes do microambiente tumoral; a produção tecidual e plasmática de citocinas e a determinação das concentrações plasmáticas de GC. Camundongos machos da linhagem C57BL/6 receberão inoculação da linhagem de melanoma murino B16F10 e serão submetidos ao protocolo de 18h de restrição de sono por 21 dias. O projeto baseia-se na expectativa de que uma análise mais detalhada dos diversos elementos da resposta imune contra o melanoma murino em resposta à privação de sono possa resultar tanto no melhor acompanhamento da evolução tumoral como na compreensão dos mecanismos comuns do sono e do sistema imunológico. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
PIZARRO DE LORENZO, BEATRIZ HELENA; NOVAES E BRITO, RONNI ROMULO; LEAL, THATIANE PASLAR; GARCIA, NYCOLE PIQUEIRA; MARTINS DOS SANTOS, RAFAELA MIRANDA; ALVARES-SARAIVA, ANUSKA MARCELINO; PEREZ HURTADO, ELIZABETH CRISTINA; BRAGA DOS REIS, TANIA CAROLINA; PALMA, BEATRIZ DUARTE. Chronic Sleep Restriction Impairs the Antitumor Immune Response in Mice. NEUROIMMUNOMODULATION, v. 25, n. 2, p. 59-67, . (13/22963-5)

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.