Busca avançada
Ano de início
Entree

As formas de acampamento

Processo: 10/02331-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Apoio a Jovens Pesquisadores
Vigência: 01 de agosto de 2010 - 31 de julho de 2015
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Antropologia - Antropologia Rural
Pesquisador responsável:Nashieli Cecilia Rangel Loera
Beneficiário:Nashieli Cecilia Rangel Loera
Instituição-sede: Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):14/22538-5 - Atualização dos acervos e bancos de dados de acampamentos nos estados de São Paulo e do Mato Grosso do Sul, BP.TT
13/22424-7 - O acampamento Novo Pinheirinho em perspectiva etnográfica, BP.IC
13/21848-8 - A trajetória dos acampamentos-aldeias de São Paulo: reconstruindo os caminhos, BP.IC
+ mais bolsas vinculadas 13/21761-0 - Título do projeto: Imagens da lona preta: organização do acervo fotográfico "Formas de acampamento", BP.TT
12/16245-0 - O acampamento Novo Pinheirinho e a sociogênese de um modelo de demanda social coletiva, BP.IC
11/11939-0 - Censo socioeconômico e banco de dados sobre acampamentos da reforma agrária no estado de São Paulo., BP.TT
11/01888-0 - De índios a sem-terra: variações da forma acampamento, BP.IC
10/15922-2 - Índios de lona preta: alianças e novas formas de demanda, BP.IC
10/15856-0 - As formas de acampamento, BP.JP
10/15915-6 - Fontes, movimentos e acampamentos em perspectiva comparada, BP.IC - menos bolsas vinculadas
Assunto(s):Movimentos sociais  Etnografia  Marginalidade social  Reforma agrária  Políticas públicas  Invasão de terras  Acampamentos  São Paulo 

Resumo

As ocupações de terra com montagem de acampamentos organizados e mediados pelos chamados movimentos constituem um fato novo na história da luta pela terra no Brasil. Desde os anos 1990, a fórmula ocupação-acampamento se tornou uma das formas "adequadas" de demandar reforma agrária ao Estado brasileiro, ou seja, para que as demandas das organizações de trabalhadores rurais (movimentos) sejam atendidas, deve existir ocupação e, sobretudo, um acampamento. São recentes os trabalhos que tomam as ocupações e os acampamentos como objeto de estudo, privilegiando principalmente o ponto de vista dos homens e das mulheres de carne e osso, que fazem possíveis as ocupações de terras e que vivem o dia a dia dos acampamentos. Apesar de os acampamentos seguirem um modelo de organização determinado, uma "forma acampamento" como demonstrado por Sigaud (2000) estariam constituídos por características próprias que conformariam variações desse modelo e que dependem do movimento que organiza o acampamento, das trajetórias sociais dos militantes e dirigentes envolvidos com a organização deles, da origem e das características socioeconômicas das famílias que se instalam debaixo da lona e das características da região onde os acampamentos são montados. Essas variações ou características diferenciadas dos acampamentos constituiriam formas de acampamento. Este projeto pretende verificar a existência de diversas formas de acampamento no estado de São Paulo e as condições sociais que permitem sua reprodução. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)