Busca avançada
Ano de início
Entree

O papel do NGAL urinário como preditor diagnóstico e prognóstico da lesão renal aguda associada à sepse em pacientes admitidos na emergência clínica

Processo: 12/16713-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de janeiro de 2013 - 31 de dezembro de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Daniela Ponce
Beneficiário:Daniela Ponce
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Pesq. associados:André Luís Balbi
Assunto(s):Nefrologia  Lesão renal aguda  Creatinina  Diagnóstico clínico  Biomarcadores  Lipocalina-2 

Resumo

A lesão renal aguda (LRA) associada à sepse permanece um grande desafio em cuidados intensivos devido à sua ocorrência comum, aos altos custos do tratamento e à mortalidade inaceitavelmente elevada. A dosagem de creatinina é a forma mais utilizada para o diagnóstico de LRA, entretanto, sabe-se que não é o marcador ideal de lesão renal e que a dificuldade em identificar a LRA não se restringe ao diagnóstico, mas também à dificuldade em predizer a evolução desses pacientes. Desta forma, são necessários estudos que identifiquem marcadores mais precoces do diagnóstico e prognóstico da LRA associadas à sepse. Dentre eles, encontra-se o NGAL, que é um biomarcador sérico e urinário promissor de detecção precoce de LRA. Muitos estudos têm validado o NGAL como preditor específico, sensível e precoce de LRA após cirurgia cardíaca, administração de contraste e em unidades de terapia intensiva, porém pouco se sabe sobre essa associação no paciente séptico admitido em sala de emergência clínica (SEC). Como a própria sepse ativa e aumenta a liberação de NGAL pelos neutrófilos, questiona-se se ela pode prejudicar as propriedades preditivas do NGAL como um biomarcador da LRA. Desta forma, este trabalho tem como objetivo principal avaliar a eficácia do NGAL urinário (u) como preditor diagnóstico e prognóstico da LRA associada à sepse em pacientes admitidos em SEC. Serão estudados de modo prospectivo pacientes admitidos na SEC do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu com diagnóstico de sepse durante o período de 01 de dezembro de 2012 a 30 de novembro de 2013. Atualmente, são admitidos mensalmente nesta SEC, em média, 30 pacientes com diagnóstico de sepse, de forma que se estima uma população de 360 pacientes ao final do estudo. Para cada paciente será elaborado um protocolo contendo dados clínicos e laboratoriais do paciente e estes dados serão obtidos, sempre pelo mesmo observador, desde sua admissão na SEC até o desfecho do quadro séptico (resolução ou óbito). A avaliação de função renal será realizada diariamente por meio da dosagem da creatinina sérica e verificação de débito urinário e dosagem do uNGAL realizada nos seguintes momentos: nas primeiras 24 e entre 24-48 horas após a admissão dos pacientes sépticos na SEC, no dia do diagnóstico de LRA pelos critérios de AKIN, no dia da indicação e da interrupção da terapia dialítica. Os resultados serão apresentados utilizando estatística descritiva da população estudada e diferentes testes estatísticos de acordo com os objetivos do estudo. A população com e sem LRA será avaliada e comparada segundo os quintis do uNGAL. Será utilizada área sob a curva para determinar a capacidade do uNGAL discriminar o diagnóstico e prognóstico da LRA. Ao final do estudo serão apresentadas curvas de Kaplan Meyer dos pacientes durante o período de acompanhamento. Todos os resultados dos testes de hipótese serão discutidos no nível de 5% de significância (p<0.05). (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)