Busca avançada
Ano de início
Entree

É a adolescência fator de risco para o desenvolvimento de neoplasia trofoblástica gestacional Pós-molar?

Processo: 09/10913-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisador Visitante - Internacional
Vigência: 01 de setembro de 2009 - 12 de setembro de 2009
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Saúde Materno-infantil
Pesquisador responsável:Izildinha Maestá
Beneficiário:Izildinha Maestá
Pesquisador visitante: Rafael Cortes Charry
Inst. do pesquisador visitante: Universidad Central de Venezuela, Venezuela
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Obstetrícia  Doença trofoblástica gestacional  Adolescência  Intercâmbio de pesquisadores 

Resumo

Resumo: Introdução: A doença trofoblástica gestacional (DTG) é mais prevalente nos extremos reprodutivos. Por ser a gravidez na adolescência evento comum nos países em desenvolvimento, entre os quais o Brasil, espera-se encontrar mais comumente a associação entre DTG e gravidez na adolescência. Objetivo: Avaliar história natural da DTG entre adolescentes, a incidência e o comportamento da neoplasia trofoblástica gestacional pós-molar. Metodologia: Trata-se de estudo observacional, retrospectivo e comparativo, realizado entre as pacientes acompanhadas com DTG pelos Centros de referência de Doenças Trofoblásticas (Universidade Estadual Paulista e Universidade Central da Venezuela), entre 1990 e 2008. Serão investigadas as seguintes variáveis: idade, número de gestações prévias, paridade, forma clínica da DTG, dosagem inicial de hCG, método diagnóstico, modo de esvaziamento uterino, sintomatologia apresentada, evolução da doença, abandono do seguimento e duração do seguimento pós-molar. Nos casos de NTG serão analisados estado, risco, intervalo entre a última gestação e o início da quimioterapia, tipo de quimioterapia e duração do seguimento. Serão ainda analisadas as gravidezes ocorridas após a DTG. A fim de comparação dos elementos clínicos da DTG, a evolução da doença e o comportamento da neoplasia trofoblástica em adolescentes, será constituído um grupo de pacientes com DTG e idade entre 20 e 35 anos. Os resultados serão analisados pelo Epi-Info 2000, versão Microsoft Windows mediante método descritivo (média e proporção) e analítico, considerando-se significativos (S) eventos com p<0,05 e não significativos (NS) quando p>0,05 para um Intervalo de Confiança de 95%. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)