Busca avançada
Ano de início
Entree

Ações extra-nucleares de triiodotironina e estradiol em linhagens celulares de adenocarcinoma mamário

Resumo

Sabe-se que o estrógeno (E2) e o status hormonal da paciente são importantes para a proliferação e o tratamento do câncer de mama (CaM). Quanto ao hormônio tireoidiano (T3), apesar dos estudos epidemiológicos serem ainda contraditórios em relação a sua influência no câncer de mama, estudos laboratoriais demonstram sua capacidade de aumentar a proliferação de células de CaM com receptor de E2 (ER) positivo, induzindo a expressão de genes normalmente estimulados por E2 (PR, TGFA). Embora o T3 exerça muitas ações pela regulação genômica clássica da transcrição gênica, um número de efeitos do T3 ocorre rapidamente e não são afetados por inibidores da síntese protéica. Ações não genômicas dos hormônios tireoidianos são descritas na membrana plasmática, no citoplasma e em organelas celulares. In vitro, independente da síntese protéica, a tiroxina (T4) induz inositol trifosfato (IP3) e sinalização pelo cálcio aumentando os efeitos de interferon-g via PKC e PKA. Recentemente o nosso grupo demonstrou que os genes Amphiregulin (AREG) e TGFA foram estimulados por E2 e T3 nas células MCF-7; enquanto o gene HIF1A teve expressão aumentada pelo T3 por meio de via não-genômica direta. Dessa forma, nossa hipótese é que o hormônio tireoidiano altera a expressão dos genes AREG, TGFA e HIF1A sem a necessidade de translocação ao núcleo, ou seja, através da via de ativação de phosphatidylinositol-3-kinase (PI3K). Para tanto, pretende-se elucidar melhor a via de ação dos hormônios tireoidianos na ativação gênica desses alvos em linhagens celulares de adenocarcinoma de mama. Metodologia: Linhagens celulares de câncer de mama MCF-7 e MDA serão plaqueadas em intervalos de tempo de 10 minutos, 30 minutos, 1 hora e 4 horas com E2 (10-7M), T3 (10-8M), E2 (10-7M) + ICI (1µM), T3 (10-8M) + ICI (1µM), ICI (1µM). Todos os tratamentos empregados serão realizados em triplicata. Em um segundo grupo, as células MCF-7 e MDA-MB-231 passarão pelos mesmos tratamentos na presença de Actinomicina D (5.0 pg/ml), inibidor da síntese de mRNA, para verificar se a expressão de AREG, TGFA e HIF1A são dependentes da expressão gênica prévia. No terceiro grupo essas mesmas células serão submetidas ao tratamento com cicloexamida (50mM), inibidor da expressão protéica, para verificar se a expressão de AREG, TGFA e HIF1A são dependentes de outra proteína expressa previamente. Os tratamentos em que ocorrer alteração da expressão gênica, em relação ao controle, serão repetidos com associação do LY294002 (50µM), que bloqueia a via PI3K e nos mostra se a ação é dependente dessa via. Será realizada extração de RNA total para a obtenção do cDNA - Transcrição reversa (RT) do RNA e PCR tempo real para expressão de AREG, TGFA e HIF1A em cada tratamento, e Western Blotting para analisar as proteínas envolvidas na via da MAPKs sendo ERK1/ERK2 e de p38 fosforiladas e não fosforiladas. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
FONTES MORETTO, FERNANDA CRISTINA; DE SIBIO, MARIA TERESA; LUVIZON, ALINE CARBONERA; CASTRO OLIMPIO, REGIANE MARQUES; DE OLIVEIRA, MIRIANE; BARNABE ALVES, CARLOS AUGUSTO; CONDE, SANDRO JOSE; NOGUEIRA, CELIA REGINA. Triiodothyronine (T-3) induces HIF1A and TGFA expression in MCF7 cells by activating PI3K. Life Sciences, v. 154, p. 52-57, JUN 1 2016. Citações Web of Science: 3.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.