Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo comparativo da dor e resposta inflamatória pós-operatória, pelo fracionamento eletroforético de proteínas séricas em cadelas submetidas à ovariosalpingohisterectomia a laser e pela técnica minimamente invasiva convencional (técnica do gancho)

Processo: 11/02968-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de setembro de 2011 - 28 de fevereiro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica e Cirurgia Animal
Pesquisador responsável:Stelio Pacca Loureiro Luna
Beneficiário:Stelio Pacca Loureiro Luna
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Pesq. associados:Alfredo Feio da Maia Lima ; Elizabeth Moreira dos Santos Schmidt ; José Jurandir Fagliari ; Marilda Onghero Taffarel
Assunto(s):Anestesiologia veterinária 
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Analgesia | Cadelas | Dor | laser | Ovariosalpingohisterectomia | Anestesia e analgesia

Resumo

A ovariosalpingohisterectomia (OSH) é o procedimento mais comum para contracepção cirúrgica em cadelas e gatas. Apesar de ser um método relativamente seguro, eficaz e de baixo custo, pode ocasionar complicações trans e pós-operatórias, além de dor, relacionada à inflamação inerente ao procedimento cirúrgico. Estas alterações podem ser minimizadas pelo emprego de técnicas minimamente invasivas e outros métodos alternativos. Neste contexto os aparelhos de laser cirúrgico podem ser uma excelente opção por produzir menores riscos de infecção, reduzir os efeitos inflamatórios e gerar menos dor, em relação ao procedimento cirúrgico convencional. As proteínas de fase aguda são importantes biomarcadores da inflamação. Com base nas considerações acima, o objetivo deste estudo é comparar a dor e a resposta inflamatória pós-operatória, pelo proteinograma sérico, por meio do emprego da técnica de eletroforese SDS-PAGE, de cirurgias de OSH realizadas a laser ou pela técnica cirúrgica convencional com lâminas de bisturi. A hipótese do estudo é que a cirurgia realizada a laser desencadeará uma menor resposta inflamatória e consequentemente dor pós-operatória. Quarenta cadelas serão submetidas à OSH, das quais 20 pela técnica minimamente invasiva convencional (GC) e outras 20 submetidas ao mesmo procedimento por meio do uso de laser cirúrgico (GL). A avaliação pós-operatória será realizada pela escala multidimensional de dor modificada de Glasgow CMPS (Composite Measure Pain Scale) e por escala análoga visual interativa e dinâmica, em estudo cego. Nos animais que apresentarem escore igual ou superior a 33% do valor total da escala de Glasgow, será administrada analgesia resgate com morfina na dose de 0,5 mg/kg por via intramuscular. O hemograma e as proteínas séricas de fase aguda serão mensuradas imediatamente antes e às 12, 24, 48 e 72 horas e 7 dias após a cirurgia. A avaliação estatística será efetuada por meio de Análise de Perfil, com nível de significância de 5%. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)